Paquetá, Piatek e lá vamos nós!

A vitória em si já valia um texto, logicamente, ainda mais por um placar tão incomum nessa temporada - foi a segunda vitória por 3 gols de diferença, sendo a primeira sem levar gol - contudo, o que deve ganhar um destaque é a atuação do time como um todo, tanto defensiva quanto ofensivamente e, de forma individualizada, o quanto Piatek, Paquetá e Donnarumma estão fazendo a diferença em um time de muito suor e pouca magia.


O que se viu em San Siro ontem foi, após algum tempo, um Milan ciente de suas limitações e do que precisava fazer para conseguir um resultado mais do que importante para o objetivo principal dessa temporada, que é conquistar a 4ª colocação, disputada por 3 times além do capeta. O gol contra de Ceppitelli logo aos 13 minutos de jogo deu uma tranquilidade que em outros momentos seria o suficiente para o time de Gattuso se encolher e cadenciar a partida e, felizmente, isso não aconteceu e os gols de Paquetá - o primeiro dele com a camisa rossonera - após lindo cruzamento de Calabria somado ao de Piatek - 4º gol em sua 4ª pelo Diavolo - definiram o placar e recolocaram o capeta de volta na elite com 39 pontos, seguido justamente por Atalanta, Roma e Lazio, nesta ordem, todos com 38 pontinhos conquistados após 23 rodadas.


Getty Images
Getty Images

Piaquetá ou Paquetek?


Feito devidamente o textinho lindinho cheio de informações, números e estatísticas, que deixa os curiosos satisfeitos e achando que esta besta que vos escreve é um jornalista, passemos ao espírito do FC, sua alma e essência, aquilo que no âmago do torcedor nunca deixará de ser primordial ao esporte. Vamos cornetar!!! só que não.


Desde sua primeira partida o brasileiro já tinha demonstrado talento e consciência tática acima do normal e o gol de ontem serviu para coroar uma ótima sequência de Lucas Paquetá, que parece estar se acostumando a um novo papel no futebol, o de salvador da pátria ou pregador no deserto de ideias. Enquanto a defesa do time se arrumou lindamente com Romangnoli e Bakayoko no centro de tudo, coube ao garoto dar o toque de criatividade que faltava à equipe desde a lesão de Bonaventura e ele vem cumprindo o papel com desenvoltura, faltando apenas condicionamento físico de atuar uma partida inteira, o que finalmente aconteceu ontem. Com defesa e meio de campo funcionando, o ataque agradece e como agradece. Piatek é exatamente o que se espera de um centroavante, inteligência e precisão.


Getty Images
Getty Images

Primeiro gol em um final de semana emotivo para o garoto


Por outro lado mesmo com alguns ligeiros sinais de melhoria, Hakan Çalhanoglu segue uma sombra do que já foi em campo e desde Novembro não corresponde à confiança que Gattuso dá ao turco. Não é caso de deixá-lo sair já que é relativamente jovem e provou ter talento em diversas ocasiões, todavia, sua "ausência" em campo acabar por atrapalhar a evolução ofensiva do time, sendo o #10 a nota dissonante. Em 21 partidas disputadas na Serie A, Hakan tem apenas 3 assistências e nenhum golzinho em seu nome enquanto, por exemplo, Suso atuou em 22 partidas, marcou 5 gols e deu 8 assistências e Fabio Borini, ele mesmo, tem 10 jogos, 1 gol e 1 assistência. Aliás, nesse período entre Novembro e Fevereiro, Donnarumma, Suso, Bakayoko e Calabria tiveram fases ruins e se recuperaram, enquanto Hakan ainda caminha em campo.


No próximo sábado o adversário é a Atalanta, em Bérgamo, e o resultado não pode ser outro além da vitória, ainda mais que Roma e Lazio enfrentarão Bologna e Genoa, respectivamente.


- Curtinhas - 


Com a vitória sobre o Hellas Verona Women por 2 a 0 (gols de Fusetti e Sabatino) e o empate entre Juventus e Sassuolo, o Milan voltou a disputar a Serie A feminina com chances de título, já que chegou aos 39 pontos, contra 40 pontos da Fiorentina e 41 da líder bianconera, que são as adversárias da próxima rodada. 


Um goleiro em boa fase, um meia criativo e um atacante que sempre anota o seu golzinho deram uma tranquilidade absurda para que Gattuso pudesse trabalhar.