E esse Milan que segue jogando bem e vencendo?

Terceira partida seguida que o capeta consegue marcar três gols no adversário. Terceira vitória seguida do Diavolo no campeonato que enche o milanista de alegria e coloca, talvez, um novo objetivo bônus nessa temporada, que é terminar a Serie A em.... terceiro. Antes de começar a ler, por favor, dê o play:



Contra o Empoli no San Siro o jogo teve apenas 45 minutos que valeram a pena, já que o primeiro tempo foi de uma monotonia desumana, com exceção do gol bem anulado de Paquetá, em posição de impedimento, após cruzamento de Rodriguez e um ou dois lances de Castillejo. O Milan girava a bola, não conseguia espaço para atacar com eficiência, perdia a posse e via o Empoli tentar acertar um contra-ataque, ênfase aqui no TENTAR. Se você deixou de fazer algo importante, como ler um bom quadrinho da Capitã Marvel (ou Ms. Marvel se você começar lááááá da década de 1960, o que eu recomendo até para entender o quão marcante é a personagem) ou terminar aquela planilha esperta que o chefe pediu, para ver a primeira metade desse jogo e depois sair de fininho do trabalho, amizade, você deveria ter ficado até o final.


Getty Images
Getty Images

Beijos para quem ficou até o final do jogo ligado


Na etapa complementar o Milan entrou ENCAPETADO (hein, hein?) e com menos de 15 minutos de jogo já havia aberto o placar com Piatek (quem mais) aos 49 minutos, após assistência de Çalhanoglu, e dobrado a vantagem com Kessié em uma malandra finalização encobrindo o arqueiro azzurro após passe de Castillejo e próprio espanhol fechou o placar aos 67 minutos de jogo. O time visitante, e seu técnico Iachini, até tentaram ameaçar a vitória, mas a clara limitação técnica de seus jogadores deixou claro o motivo deles ocuparem a nada honrosa 17ª colocação, a primeira fora da zona de rebaixamento.


Mantendo a tradição, os pontos positivos ficam para Piatek, que na única bola em condições de finalização que recebeu colocou no fundo das redes, Bakayoko o eterno dono do meio campo e dessa vez Castillejo, que se mostrou ativo e, mais importante, criativo quando o time precisava de ideias, dando a impressão de que pode ser finalmente uma alternativa a Suso. Destaque também para a titularidade de Andrea Conti após 544 dias - a última dele tinha sido a vitória sobre o Cagliari em agosto de 2017 - e o retorno aos campos de Lucas Biglia, que havia se lesionado em novembro do ano passado e ganhou alguns minutinhos.


Getty Images
Getty Images

Quando até os reservas estão jogando bem, tudo é lindo


Quanto aos negativos? Dessa vez não teremos Hakan aqui, já que duas assistências em dois jogos colocam o turco na região do "feijão com arroz". Talvez Paquetá que não manteve o alto nível de antes, contudo, ainda é um ponto de referência técnico no meio campo. Todavia, quem anda merecendo uma atenção de Gattuso é Patrick Cutrone.


Mesmo sendo o primeiro jogo da rodada, o Milan, agora com 45 pontos conquistados, já se isola na 4ª colocação no campeonato independente do resultado do jogo da Roma (41 pontos) contra o Frosinone, e de quebra coloca uma pressão na Internazionale, 3ª colocada na Serie A com 46 pontos, que enfrentará a Fiorentina (35 pontos).


- Curtinhas - 


Talvez, e vejam só o TAMANHO desse talvez, se a Inter começar a patinar como todo time do Spalletti faz em algum momento do campeonato, dá para sonhar com o terceiro posto sim, senhor.


Essa semana o Milan feminino venceu o Sassuolo por 2 a 0 - gols de Giacinti e contra de Giurgiu, que não é a ex-capitã da USS Discovery - e se classificou para a semifinal da Coppa Italia.


A Serie A feminina entrou em sua Data FIFA e por isso a próxima partida do Milan será apenas dia 16 de Março contra a Florentia


Antes que venha o comentário espertinho, Florença tem dois times na Serie A feminina, a Fiorentina e a Florentia.


Para suas seleções, foram convocadas 12 rossonere do time de Morace para defender seus países, entre elas a brasileira Thaisa Moreno.