Milanistas, não duvidem: somos todos trouxas

Ultimamente o Milan me faz parecer um personagem de literatura. E estrangeira ainda, para ficar mais elegante. Na série de livros "Harry Potter", da autora britânica J.K. Rowling, todos aqueles que não têm qualquer poder mágico, que possam levá-los a uma das tradicionais casas de Hogwarts, são conhecidos pela carinhosa alcunha de Muggle, o que foi traduzido como Trouxa. Mas se você quiser, pode ser traduzido também como Milanista.


Presos em seu mundo de magia e encantamento, em algum lugar desse universo, jogadores e principalmente técnico do Milan parecem estar felizes fazendo a mágica de transformarem equipes médias e pequenas em adversários temíveis e respeitáveis. Foi assim contra o Palermo (derrota), Genoa (derrota), Sampdoria (empate), Internazionale (empate), Cagliari (empate), Cesena (empate) e Empoli (empate). Viram quantos pontos ficaram pelo caminho por pura incompetência? E os trouxas somos nozes, já dizia aquele vídeo.


Getty Images
Getty Images

Riccardão Montolivo já na posição de torcedor do Milan


E ontem foi mais um caso desses. Dá para escolher herói e vilão nesse empate com o Torino, quando eu desejei do fundo da alma que o Toro virasse a partida e levasse os três pontos na bolsa do Ventura. O herói é, novamente, Diego Lopez que, com mais uma atuação de gala, impediu uma goleada do Torino, enquanto o vilão é o imbecil do Pippo Inzaghi, que até montou o time que dava, mas foi uma besta e um mentecapto nas substituições.


O Milan foi massacrado, amassado, reduzido a massa de pizza que apanha toda hora. Ontem podiam mudar o nome do time para A.C. Sparring porque, p*uta que p*ariu, gente.



Notas do dia:


Diego Lopez - Nota 9: Mas o bicho trabalhou demais e tem que ganhar um aumento.


De Sciglio - Nota 1,5: Entrou em campo só para cagar na mão e espalhar nas paredes do banheiro. É o símbolo dos trouxas do Milan, uma decepção de doer.


Rami - Nota 5: Deu pro gasto.


Mexes - Nota 5: Deu pro gasto 2 - A missão.


Armero - Nota 4,5: Não serve para jogar na lateral, definitivamente. Mesmo sofrendo com a mexida errada no time pela anta do técnico, deixa espaços demais e toma muitos dibres.


Muntari - Nota 3,5: Ui, mona chiliquenta.


De Jong - Nota 5: Deu pro gasto 3 - Trinity.


Montolivo - Nota 5,5: Riccardão não pode segurar o time todo sozinho, tendo apenas o Muntariotário para tabelar.


Niang - Nota 5: Foi mais útil que o El Shaarawy.


Menez - Nota 5,5: Quando o time é montado errado, perde um jogador e o imbecil do técnico mexe mal, o francês não tem culpa.


Bonaventura - Nota 6: Nosso Jack tentou, defendeu, atacou, deu pirueta, assobiou e chupo a cana. Mas ontem foi o dia de comer o pão que o Inzaghi amassou.


Abate, Alex e Poli - Nota 3,5: A exceção do Abate, que foi uma substituição no automático e básica, as outras duas foram de uma incompetência ímpar. O time ficou torto e fragilizado.


Não tem desculpa de elenco, que o resultado era bom, que o Voldemort estava chegando e o Dumbledore tinha morrido. Faltaram cojones e huevos de acero ao Mister Inzaghi das pranchetas.


Com o resultado, o Milan fica com 26 pontos, em 7º no campeonato e pode ser ultrapassado por Fiorentina ou Palermo, depende de quem vencer hoje.


-Espaço para as cornetadas Taurinas ==<O #fuéé-


Vai ser f*der, time sem vergonha do cara*lho. Enfiem esse ponto no c*u.


Inzaghi mostrou que pode ser mais despreparado que o Allegri. Como uma vitória escrota pelo placar mínimo contra um Torino pode justificar uma retranca escrota dessas?


E o show do Muntari quando foi substituído. PRE-PA-RA.




Essa semana já tem A.C. Sparring de novo, agora pela Coppa Italia, contra o Sassuolo, na terça feira às 18 horas, com transmissão da ESPN e a já confirmada narração de Paulo Andrade. Tomara que a mudança de canal traga mais sorte.