Derrota e humilhação em Nápoles. Só Fagner explica

Hoje foi dia de comemorar vitórias. Pelos cantos de todo esse Brasil, milhares de torcedores comemoraram a conquista dos falidos e desimportantes campeonatos estaduais. Para o milanista, entretanto, foi mais uma rodada para levar uma surra e se esconder no canto escuro, com um filete de água gelada pingando na nuca.


A partida contra o Napoli começou da pior maneira possível, com a marcação do claríssimo pênalti cometido por De Sciglio que foi, injustamente, expulso de campo. Nesse momento o milanista já se colocou na posição e preparou a manteiga. Entretanto, aquele semideus espanho lindo e calvo defendeu a cobrança de Higuain e, novamente, deu um fiapo de esperança ao torcedor rossonero.


O time anfitrião jogou por 60 minutos em superioridade numérica e, de tão incompetente, conseguiu até levar uma pressão do Milan. Contudo, aos 61 minutos da peleja, O inominável veio a campo. Ele entrou no lugar de Bocchetti e, para surpresa de, bem, ninguém, o Napoli conseguiu marcar 3 gols em menos de 8 minutos, sendo que dois nasceram diretamente de falhas DELE, Daniele Bonera (pronto, acabo de perder 21 pontos no STJD só por ter citado o nome dele).


Getty Images
Getty Images

Que imagem linda. E simbólica


A derrota custou ao Milan uma posição na tabela e, agora, ele está na liderança da segunda parte da classificação (11º) com 43 pontos, com apenas 2 de vantagem sobre Chievo Verona e Udinese.


As próximas partidas serão contra Roma, Sassuolo, Torino e Atalanta. Como diria o outro, HAAAAAAAAJA coração. O negócio agora é assistir as partidas para ver o semideus espanho da camisa 23 em ação. Que homem, gente, que homem.


Levar 3 gols no segundo tempo de time do Rafa Benitez em partida realizada em Maio de ano terminado com 5 deve ser algo cabalístico do Milan, só pode.


-Espaço reservado para as cornetadas partenopei ==<O #fuééé-


O Destro servia para que mesmo?


Enquanto tinha pernas, o Bonaventura mostrou que deve ser escalado sempre mais perto do gol adversário, por ser o jogador mais criativo e incisivo do time, melhor até do que o Menez em algums oportunidades.


Logo após a derrota, o Milan já confirmou que Inzaghi segue no comando até o final da temporada. Nada mais justo do que o capitão naufragar junto com seu time.


Ultimamente a melhor definição de "torcer para o Milan" pode ser encontrada na voz de Raimundo Fagner, no álbum "Romance no Deserto", de 1987: