Acaba logo, temporada. Eu te imploro

Nenhum torcedor quer chegar a esse ponto. Contudo, como diria o poeta, tem vezes que o dia é noite. A temporada 2014/2015 para o Milan parece ser aquele dia que você acorda já desejando que ele acabe, para ter a oportunidade de sonhar com outros melhores. Entretanto, o maldito não acaba.


Talvez nem todo milanista pense assim, mas desde a 25ª rodada, eu só estou torcendo para que termine logo esse pesadelo, que a barca passe levando os inúteis declarados, tipo o Inzaghi, ou mesmo os não declarados, tipo o Mexes, para longe e as coisas voltem ao eixo. Não quero mais assistir a partidas com medo de perder para o Chievo e Sassuolo, ou mesmo achando que um empate com o Empoli é um puta resultado.


É muito provável que os mais velhos tenham tido a mesma sensação ali em 1996/1997 e 1997/1998, quando o Milan terminou, respectivamente (e melancolicamente), em 11º e 10º na tabela na Serie A. Não, crianças, não somos os únicos que vimos esse time na pior, e não seremos os últimos.


Além da triste realidade, o que mais traz a urgência do término dessa catástrofe que chamamos de campanha na Serie A, pois a Coppa Italia já foi para o saco há tempos, (aliás, eram só duas competições a serem disputadas e o povo cagou legal, hein?), é a sensação de que as coisas vão melhorar em futuro próximo.


Getty Images
Getty Images

Ninguém aguenta mais essa temporada, Jack


Claro que ninguém acredita num renascimento tão rápido, mas já temos sinais inconfundíveis de que a tendência é, de fato, que algo vai mudar. Por exemplo, Galliani já deu a entender em diversas entrevistas que Pippo não segue no comando, que boa parte dos jogadores que hoje estão no plantel não permanecerá e que, BOMBA, vai gastar uma grana no próximo calciomercato.


Para o milanista mais supersticioso, depois da citada malquista temporada 1997/1998, o Diavolo conquistou o Scudetto em 1998/1999 e começou a Era de Prata do Milan, quando conquistou quase tudo que podia nas mãos de Carlo Ancelotti (o maldito do Allan Amarelo, do República de La Boca vai lembrar do Mundial de 2003. Safado).


Resta a nós, torcedores, esperar. Seja pelo final dessa temporada maldita (que ainda pode nos presentear com o desagradável triplete da Juventus), seja pela confirmação de nossas esperanças de melhoras.