Dissecando o Milan 2015/2016 - O ataque

Putaquepariu acabou, porra!


Armaria que chegamos ao último setor desse novo Milan ítalo-tailandês. Nesse derradeiro capítulo (infelizmente, pois por mim eu ficava analisando o Milan jogador por jogador de tanto que eu gosto desse tipo de texto *pura falsidade*) nós vamos ao setor em que preocupou o milanista na temporada passada, e que tem como missão por um sorriso na cara de todo torcedor.


Como o assunto é o ataque rossonero, não custa nada fazer um pequeno flashback da temporada passada. Sob o comando de um dos mais icônicos atacantes que já vestiram a camisa 9 do Milan, o Diavolo marcou míseros 56 gols marcados (foram 50 gols sofridos). Como diria o Mauro Cezar: Pífio.


Para essa temporada, o ataque já recebeu atenção de Galliani e dois manolos já foram contratados, além do retorno de um certo juventino enrustido.


- Carlos Bacca (29 anos em Setembro)


Divulgação/AC Milan
Divulgação/AC Milan

Com direito ao Mexes sensualizando ao fundo, oh


Bicampeão com o Sevilha da Europa League e com um bom saldo de gols em sua passagem pelo time da Andaluzia, o colombiano chegou com a missão de substituir Pazzini no coração dos milanistas, algo que um poste faria sem qualquer esforço. Sem qualquer sombra de dúvidas, assim como foi com o Menez na temporada passada, Bacca é um senhor reforço.


- Alessio Cerci (28 anos)


O Tchêrtchi chegou para suprir a necessidade de um ponta esquerda na temporada passada, fez um golzinho mirrado e morreu por lá. Desde então ele vem se mostrando mais inútil do que o capacete dos pilotos Kamikazes que atacaram Pearl Harbor. Contudo, a sua presença mais perto do gol, como segundo atacante, dá a Mihajlovic a opção para montar uma dupla de frente com características diversas, e isso é interessante.


- Luiz Adriano (28 anos)


Divulgação/AC Milan
Divulgação/AC Milan

- O Matri? Aqui perto? Nãããããããã


Outro garotinho que chegou agora e traz na bagagem a vice-artilharia da Champions League passada. O brasileiro é outro centroavante que pode ser considerado um reforço.


- Alessandro Matri (31 anos)


Esse cara não morre, puta m*erda. Ele voltou para assombrar nossas vidas, lembrar que ajudou mais a Juventus do que o Milan na temporada passada e desgraçar mais ainda a camisa 21, outrora tão bem acompanhada.


- Jeremy Menez (28 anos)


Esse fominha foi o ponto de desequilibrio em muitos jogos na temporada passada e também o sinal de alerta de que o Milan precisava demais de reforços no setor ofensivo. Menez é, tecnicamente, o melhor entre os atacantes no plantel, mas seu excesso de egoísmo muitas vezes atrapalha demais o time.


- M'baye Niang (21 anos em Dezembro)


Divulgação/AC Milan
Divulgação/AC Milan

Óticas do Povo, morô?


O outrora jogador circense que vivia a sombra de El Shaarawy, quem diria, convenceu a todos que ele teria mais a entregar ao time do que o pequeno faraó. Niang voltou de empréstimo com moral após uma boa temporada no Genoa e, ao que tudo indica, está mais vivo do que nunca na disputa por uma das vagas no ataque de Mihajlovic.


O ataque do Milan será o setor mais rotacionado do time nessa temporada. Graças à escassez de jogadores da temporada passada e à necessidade de centroavantes de verdade para o sistema de jogo que será utilizado nessa temporada, o sérvio no comando está bem servido. Ainda, ele deu uma declaração das mais inteligentes taticamente quando disse que a dupla de ataque será escalada de acordo com o adversário.


Seguindo essa mentalidade, as combinações e possibilidades são inúmeras, deixando uma brecha para a utilização de todos os atacantes que estão à disposição. É só pensar que o time pode ter dois postes dentro da área (Bacca e Luiz Adriano, por exemplo) ou nenhum atacante de referência (Menez e Cerci/Niang). Ainda, pode ter uma referência (Bacca/Luiz Adriano) e um segundo atacante que prefira jogar pela esquerda ou pela direita (Menez/Cerci/Niang).


O único que tem vaga garantida é o Matri. Tenho certeza que ninguém vai roubar a vaga dele no banco de reservas ou mesmo nas arquibancadas, assistindo a partida bem de longe onde não possa atrapalhar.


"Mas e o Ibrahimovic, espertão?", você pode perguntar. Simples, eu diria. O querido Mihajlovic, se receber o Big Swede de presente agora em agosto, poderia escalar ele tanto no ataque ou poderia colocar o narigudo bom de bola para disputar a vaga de trequartista com Bonaventura, Honda e Suso.


Quer rever algum dos textos dessa série? É só clicar no link abaixo e se divertir (NOT!)


ESPN FC | Ovunque Milan


Dissecando o Milan 2015/2016 - Os goleiros


Dissecando o Milan 2015/2016 - Os laterais


Dissecando o Milan 2015/2016 - Os zagueiros


Dissecando o Milan 2015/2016 - O meio campo (parte I)


Dissecando o Milan 2015/2016 - O meio campo (parte II)