O Paraná Clube paga um preço alto pela incompetência de quem o comanda

É sempre mais difícil organizar o pensamento quando se está com a cabeça quente. Mas é ainda mais difícil não esquentar a cabeça quando se trata do Paraná Clube.


Gazeta Press
Gazeta Press

Micale acumula mais uma derrota no comando do Paraná Clube.


Não existe jogador ou qualquer membro do clube que saiba o que um torcedor da arquibancada sente, que entenda verdadeiramente a nossa vontade de ver o sucesso do time. Nós não recebemos para realizar esse trabalho. Na verdade, nós pagamos por isso. Pagamos para assistir um dos piores times já montados na história do Paraná Clube. Pagamos para assistir, rodada após rodada, a incompetência dos gestores em 2018.


Que me desculpem os torcedores pacientes, compreensíveis e apoiadores “da gestão que nos trouxe a série A”, eu não tenho mais condições de visualizar pontos positivos ou uma luz no fim do túnel em pessoas que, sem pensar duas vezes, disseram ser normal cair para a série B ao final do campeonato.


A regra da vida é clara: se você aceitar ser pequeno e tiver atitudes pequenas, então seus resultados nunca serão nada além de pequenos. Se você aceitar a derrota antes mesmo de entrar em campo, você jamais sairá vencedor.


Ainda em 2017, lá pelo final de setembro ou começo de outubro, já era possível enxergar a Série A chegando. A campanha que feita naquele momento nos trazia o sonho do acesso. Ninguém considerava 100% certo ainda, nós já estávamos vacinados e não nos iludiríamos facilmente. Era apenas uma visão, mas estava lá. Naquele ponto, e já me chamaram de louca por afirmar isso, era obrigação da diretoria começar a pensar em determinados aspectos daquela possível Série A que seria disputada por nós.


É claro que não houve planejamento algum. Para não ser injusta, talvez uma lista longa de desculpas a serem usadas durante o ano: o time foi montado do zero, falta entrosamento, será um time para o paranaense e outro para o brasileiro (só pode ter sido um grande estudioso de futebol o gênio que teve essa ideia brilhante), o foco não é o estadual, o foco não é a Copa do Brasil (campeonato que mais traria dinheiro aos cofres do clube), o foco é permanecer na série A, se cair para a série B é normal porque é ano de reestruturação, comemos macarrão no café da manhã.


Gazeta Press
Gazeta Press

Alex Santana após derrota para o Ceará.


É inadmissível que as pessoas que possuem poder de decisão dentro do clube não consigam enxergar todos os erros cometidos e buscar melhorias. É um absurdo que o presidente nos coloque em posição de derrotados, que o vice-presidente e o diretor de futebol utilizem redes sociais para discutir com torcedor e responder textos pontuando todos os erros que cometeram de forma arrogante. Assumir os próprios erros é um grande passo para encontrar o caminho do acerto, para buscar solução e buscar corrigir o que precisa ser corrigido.


Nós tivemos todo o período da Copa do Mundo para encontrar um caminho melhor, para evoluir e retornar ao campeonato com um pouco mais de organização e possibilidades de subir na tabela. Nada foi feito. A mudança foi pra pior. A teimosia mata o mínimo de qualidade que existe no futebol do Paraná Clube hoje. A única soma que fizemos até agora foi a de derrotas.


Eu não esquentaria a cabeça se soubesse que, de fato, foi feito tudo o que podíamos e que a realidade é essa, que não tínhamos como contratar jogadores melhores, que não tínhamos como utilizar melhor o dinheiro disponível. Mas eu sei que nada disso é verdade. A verdade é que, de uma forma muito dolorida, o Paraná Clube paga um preço extremamente alto pela incompetência de quem o comanda.


Quem quer aparecer e ser ovacionado por um resultado positivo, precisa aprender a assumir responsabilidades quando tudo dá errado. A bola pune quem vive de passado.