Macaca mostra outra cara e dá confiança ao torcedor

Mais do que uma vitória que encaminhe a classificação para a próxima fase da Copa do Brasil, a maneira que a Ponte Preta entrou em campo, ontem, contra o Náutico, era o que precisavam time e torcida para criar força e confiança ao restante da temporada. Afinal, sábado já começa a Série B. 


A Macaca atropelou o Timbu no primeiro tempo, fez 3 a 0 aos 26 minutos de jogo e elevou a estima de todos em Moisés Lucarelli. Desde o rebaixamento catastrófico no ano passado, crise financeira escancarada e Paulistão vergonhoso, a expectativa era mínima e com razão. Agora o panorama muda e o pontepretano, dentro e fora de campo, consegue estufar o peito. 


Não há como se iludir que esse time seja um candidato a título da Copa do Brasil, jamais, ou sequer um forte candidato ao acesso do Brasileirão. Não é. Ainda não. Mas pelo menos agora existe um time, existiu ontem um padrão de jogo, criação de jogadas, intensidade. Coisa que fazia tempo que o torcedor pontepretano não via em campo. Isso aliado à solidez defensiva característica de 2018.


A reclamação de muitos é que a Ponte, com um jogador a mais, tirou o pé exageradamente no segundo tempo e sentou em cima do resultado. Concordo. Embora eu não ache que seja digno de tantas críticas assim, ainda mais em se tratando do primeiro tempo avassalador que fez. Um cuidado a mais com o ótimo resultado não fez mal. Claro que poderia ter matado a eliminatória que ainda está em aberto, mas talvez até com um resguardo ao físico e limitação do cansaço, foi melhor pensar primeiro em manter o placar e não tomar gol. 


Surpresa geral


Gazeta Press
Gazeta Press

Orinho comemora gol que abriu o placar no Majestoso


Que time era aquele de preto que começou o jogo ontem em Moisés Lucarelli? De maneira nenhuma parecia a Ponte Preta dos últimos tempos recentes. Uma equipe vibrante, com toque de bola, com domínio de meio campo, incisiva e agressiva ao ataque. Deu gosto de ver. 


Se para mim a força maior vinda da dupla Orinho e Marciel, voando no lado esquerdo do campo, o primeiro gol veio no extremo oposto. Na tabelinha entre Paulinho e Emerson, após um cruzamento cortado pela zaga pernambucana, a bola sobrou para volante novamente e Paulinho cruzou de três dedos para a área. Depois do corte do zagueiro, o lance se ofereceu ao pé direito de Orinho, que não pensou duas vezes em mostrar que sua perna 'ruim' não é cega. Pegou de primeira, sem tanta força, embora o suficiente para mandar para as redes.


Demonstração da amplitude do time e da qualidade na saída de bola, Marciel ousou um lançamento primoroso de 50 metros em profundidade, perfeitamente no peito de Felipe Saraiva. O atacante já dominou colocando na frente e abusou. Cortou o zagueiro, cortou o goleiro e finalizou de perna esquerda no cantinho, onde não haviam defensores alvirubros na linha do gol. Golaço: 2 a 0.  


Gazeta Press
Gazeta Press

Menino Saraiva volta a fazer um belo gol


Ali o resultlado já era o suficiente para, além de animar as arquibancadas, propor uma mudança no estilo de jogo do time. Provavelmente o Timbu sairia em busca de pelo menos um gol, oferecendo o contra-ataque para a Ponte. E foi exatamente o que aconteceu. 


Aproveitando uma subida do time pernambucado ao ataque, Marciel, de novo ele, foi muito vertical ao acionar Júnior Santos. O estreante, bravo na briga com o marcador, lutou até o fim pela bola e foi recompensado com a sorte. Os dois defensores do Náutico bateram cabeça e Júnior se viu livre em disparada ao gol para começar sua história na Ponte, literalmente, com o pé direito. Entrou na área e bateu na saída do goleiro para decretar a vitória. Gol de camisa 9 brigador, digno de Monga e Fabiano. 


Gazeta Press
Gazeta Press

Júnior Santos celebra, com a torcida, gol em sua estreia


Talvez se resguardando fisicamente além do próprio resultado positivo, a Ponte tirou o pé no segundo tempo. Natural. Também concordo que até um pouco exageradamente, já que o Náutico teve um jogador expulso ainda no começo da segunda etapa. Preferiu não arriscar tomar um gol. 


A equipe pernambucana não ficou tão atrás quanto a Macaca. Até tentou chegar mais ao ataque, sem sucesso. Enquanto a Alvinegra só criou mesmo mais uma oportunidade de perigo, quase no fim do jogo, com uma finalização de Aaron para fora. E ficou por isso. 


De novo, ainda acredito que a classificação esteja em aberto. Conhecendo a Ponte Preta e sua alta capacidade em decepcionar seu torcedor e ainda mais em se tratando do que vimos nas recentes partidas das quartas de final da Liga dos Campeões e finais estaduais. A Macaca não matou a eliminatória. Por isso é importantíssimo manter o foco a todo instante quarta que vem, fazer bom jogo na Arena Pernambuco e voltar do Nordeste com a vaga. 


Dedo do professor


Gazeta Press
Gazeta Press

Será que daqui já dá para ver a Série A?


Sábado já tem Brasileirão da Série B, no Majestoso. A Ponte estreia contra o Paysandu e seria muito bom ver uma equipe novamente agressiva como foi contra o Náutico, mesmo sem torcida nas arquibancadas. 


A tarefa fica a cargo do Professor Doriva. Muita gente era contra a contratação do treinador pelo que fez na sua primeira passagem, deixando a equipe de na mão de sopetão saindo pela porta dos fundos para assumir o São Paulo. Antes de sua volta, citei aqui no blog que, dentre os nomes especulados, o de Doriva era o que mais me agradava - ou menos me incomodava. 


O treineiro fez um bom trabalho aqui em 2015 e muito dificilmente, no cenário atual, vai repetir o que aconteceu no episódio de sua saída conturbada. Além de tudo é um técnico vencedor. Já ganhou estadual com o Ituano e Vasco e tem experiência em tirar bastante de grupos limitados, caso da Ponte em 2018. 


Em pouco menos de 10 dias de trabalho livre de compromissos, a cara da Macaca de Doriva agradou bastante ontem. Aproveitando os avanços e evoluções que a equipe teve com João Brigatti na disputa do Troféu do interior. Os dois têm tudo para firmarem uma parceria de sucesso no comando do time. Esperamos que esse jogo seja apenas o começo.   


Tem gente chegando


Getty Images
Getty Images

'Churry' Cristaldo pertence ao mexicano Cruz Azul e está emprestado, e encostado, no freguês Vélez Sarsfield


Se não bastasse o resultado positivo e animador, as notícias boas não pararam por aí. Pelo que informa a imprensa campineira, a chegada de Danilo Barcelos - lateral e meia do Atlético-MG - deve mesmo ser concretizada ainda hoje, em negócio que envolve o lateral direito Emerson. Danilo seria muito bem-vindo na Ponte, além do futebol, pelo seu espírito e identificação com o clube. 


E para completar, parece que já está tudo encaminhado para a chegada do atacante Jonathan Cristaldo. O argentino apelidado de 'Churry' é um fazedor de gols nato e seria excelente contratação, que certamente muda esse grupo da Macaca de patamar dentro do Brasileirão e para o restante do ano.


O Alvinegro pode pela primeira vez no ano se sentir esperançoso. Primeiro com o clima mais confiante dentro e fora de campo que a vitória na estreia de Doriva trouxe à Ponte e segundo pelas preces de contratações de peso que parecem, enfim, serem atendidas.