O Pronúncia do Norte esteve em Chaves e viu o passeio do Porto e a redenção de Soares

Pronúncia do Norte
Pronúncia do Norte

Porto goleou o Chaves por 4x0, para alegria do mar azul que tomou conta do Estádio Municipal


Passava pouco das 10h30 do domingo de carnaval quando partimos do Porto em direção a Chaves. Cerca de 160 km separam a cidade invicta do munícipio localizado nos Trás-os-Montes, já na fronteira com a Espanha. Trajeto que se fez em cerca de 1h30 pela auto-estrada (correspondente às nossas BRs). Chegamos bem a tempo do almoço. Uma boa refeição que serviu de aperitivo para o prato principal do dia: Chaves x FC Porto, pela 22ª rodada da Liga Portuguesa. O Pronúncia do Norte passeou em Chaves e viu o Porto passear sobre o Desportivo local. A goleada de 4x0 ainda contou com a redenção de Tiquinho Soares, autor de dois gols.


Nada como um jogo à moda antiga, às quatro da tarde de um domingo, para dar uma esticada até os limites nortes de Portugal e apoiar o seu time do coração. E não foram apenas os portistas que aproveitaram o dia e horário para irem ao estádio. Centenas de flavienses emigrados nos Estados Unidos, na França e Suíça aproveitaram a ocasião para ver o clube da terra jogar contra a melhor equipe portuguesa na temporada 2017/18. Jogo de casa praticamente cheia, com o setor destinado à torcida portista lotado e muitos portistas espalhados nos demais setores do Estádio Municipal Engenheiro Branco Teixeira.


Depois de almoçarmos, andamos pela cidade. Fomos atrás do famosos pasteis de Chaves (fazem jus à fama, diga-se de passagem) e vimos o Castelo de Santo Estevão, cuja construção foi ordenada pelo primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, em 1160 e sua inauguração já sob o reinado de D. Sancho I, em 1211. Do centro desta histórica cidade, rumamos ao estádio, que fica a cerca de 2km de distância.


Estacionamos ao lado do estádio, bem próximo da entrada da torcida portista, e em frente à casa de um simpático senhor que nos disse que por aquela região, todos torciam para o Chaves permanecesse na 1ª divisão e que o Porto fosse campeão. Como os flavienses estão na sexta posição e fazem uma bela temporada, e o Porto vai liderando a competição praticamente desde o início, esperemos que em maio estejamos todos satisfeitos e com razões para celebrar.


Pronúncia do Norte
Pronúncia do Norte

O Forte de São Neutel foi construído no séc. 17 para proteger Portugal das invasões espanholas


O Estádio Municipal é pequeno. Tem capacidade oficial para apenas 12 mil espectadores. O que chama a atenção é sua localização. Bem ao lado do Forte de São Neutel. Uma fortificação de extremo valor histórico para Portugal, construída a mando de D. Afonso IV entre 1664-68, altura da Guerra da Restauração. Como se sabe, Portugal esteve sob domínio da Espanha entre 1580 e 1640. Os portugueses declararam independência em 1º de dezembro de 1640, dando início aos confrontos armados com o reino espanhol, que se prolongaram até 1668. O Forte de São Neutel servia de proteção contra as invasões espanholas que vinham do Norte, da Galiza.


Dentro de campo, os “valentes transmontanos” (como está escrito numa das arquibancadas e é anunciado nos auto-falantes do estádio) não foram capazes de protegerem seu território da invasão da armada azul e branca. Sem dó nem piedade, o Porto dominou o jogo por completo desde o primeiro minuto, neste que é um estádio geralmente complicado de se jogar, e construiu com imponência a goleada por 4x0, mesmo sem cinco titulares (Danilo, Marcano e Aboubakar lesionados, e Ricardo e Brahimi poupados para o jogo com o Liverpool nesta quarta-feira).


FC Porto divulgação
FC Porto divulgação

Em dois jogos seguidos, Soares marcou três gols e foi decisivo para as vitórias azul e branca


Tiquinho Soares foi a chave que abriu as portas para a goleada, marcando os dois primeiros gols. Foi a redenção do atacante brasileiro que chegou a ter a porta de saída do clube entreaberta. Após sofrer com duas lesões e vir a dupla Aboubakar e Marega encaixar e engrenar, Soares foi relegado ao banco portista. De volta à titularidade no jogo com o Sporting na semifinal da Taça da Liga, o brasileiro não reagiu bem ao ser substituído. Pediu desculpas, mas ouviu de Sérgio Conceição que a decisão de ficar no clube seria dele. Rejeitou os milhões da China e uma proposta do campeão brasileiro Corinthians para mostrar que seria capaz de dar a volta por cima e ser novamente determinante para o Porto.


A remissão de Soares começou na quarta-feira, 7, quando o atacante marcou o gol da vitória portista sobre o Sporting, na partida de ida da semifinal da Taça de Portugal. E foi concluída no domingo, com os dois gols sobre o Chaves, que abriram caminho para o tranquilo triunfo que ainda teve os gols de Marega e Sérgio Oliveira (um golaço deste meia que está em franca ascenção).


A goleada manteve o Porto na liderança isolada e invicta na Liga Portuguesa. Com os quatro gols marcados em Chaves, os azuis e brancos já somam 90 tentos na temporada 2017/18. Dois a mais do que os 88 de toda a temporada 2016/17.