Um PSG à flor da pele

Getty Images
Getty Images

Expulsão de Dani Alves reflete a panela de pressão que virou a equipe


Foi um clássico quente e cheio de golaços, como todo Lyon x PSG tem que ser. Duas equipes com um DNA ofensivo, muita rivalidade e bons jogadores se enfrentaram neste domingo (21) no Groupama Stadium (antigo Parc OL), pela 22ª rodada da Ligue 1, e quem viu o jogo não se arrependeu.


Os donos da casa saíram com a vitória, apostando em um time valente diante de um PSG que a cada clássico se mostra mais e mais nervoso em campo. Diante do Marselha, nosso maior rival, foi Neymar quem caiu na pilha e foi expulso por bobagem. Desta vez, Dani Alves foi quem levou o vermelho de forma mais absurda ainda, ao fazer falta clara e peitar o juiz – e quem conhece Clément Turpin sabe como ele não tolera qualquer tipo de reclamação mais acintosa. Verratti e Cavani foram outros dois que levaram amarelo e por pouco não foram expulsos também.


A cada dia que passa, o Paris cresce mais no cenário mundial, mas com isso também vem um lado ruim. O clube passa a ser vidraça, e tudo o que gira em seu entorno vira notícia, e todos sabemos que polêmica é o que mais vende. Desde o início da temporada, com a chegada de Neymar, a equipe virou o centro das atenções e tudo vira polêmica, seja um desentendimento verdadeiro ou algo infundado para gerar mais vendas ou cliques. Todo esse clima reflete dentro e fora de campo, e não à toa os jogadores se sentem mais pressionados.


A diretoria já promove uma caça às bruxas para saber quem anda vazando algumas informações internas, mas o problema ainda não foi resolvido, e enquanto alguns jogadores ainda tomarem atitudes infantis em campo diante das câmeras, a tendência é piorar.


Perder um clássico na casa de um rival nunca é algo desesperador, e o resultado em si não deve mudar muito o planejamento atual. Areola, Daniel Alves e Kurzawa erraram feio na partida – sendo que os dois últimos ainda têm algum crédito, por terem feito a bela jogada do nosso golaço – e o Lyon deve ser parabenizado pela vitória. O que deve ser focado ainda mais no dia a dia é a união e a blindagem ao elenco, para que todos sejam menos expostos e possam ter atitudes mais assertivas em prol do clube.