PSG escapa do Fair Play, mas terá de vender jogadores

Getty Images
Getty Images

Presidente Nasser Al-Khelaifi conseguiu escapar mais uma vez de uma punição da UEFA


Os últimos dias foram de tensão no Parc. A comissão que controla o Fair Play Financeiro da UEFA se reuniu durante cinco dias para debater as contas de alguns dos principais clubes europeus, e o caso do PSG gerou muitas discussões internas.


Agora, segundo o diário L’Équipe, a UEFA decidiu encerrar o caso, sem punir o clube francês. Porém, após analisar de perto os contratos de patrocínio, ficou constatado que os valores pagos pela Qatar Tourism Authority não estavam de acordo com o valor real – o clube afirmava que ganhava 100 milhões de euros da empresa, mas uma consultoria externa constatou que o valor real era de 40 milhões, o que não permite que as contas parisienses estejam em pleno equilíbrio, mas o déficit ainda assim é aceitável na margem regulamentada pela UEFA.


Sendo assim, o PSG terá que arrecadar € 60 milhões (outras fontes citam € 40 milhões) até o dia 30 de junho para não começar a próxima temporada mais uma vez no olho do furacão financeiro. As vendas de Gonçalo Guedes (emprestado ao Valencia) e Pastore são inicialmente as melhores opções para atingir a meta sem prejudicar muito o elenco.


E ainda há mais um detalhe. As contratações de Neymar e Mbappé não entraram na discussão, já que foram postos à mesa as contas das outras três temporadas. Por isso, o clube ainda tem um longo caminho para convencer a UEFA de que a dupla irá retornar o investimento necessário para pagar suas respectivas aquisições. O que também implica em um mercado obrigatoriamente mais controlado neste e nos próximos anos para o PSG.


ICI C’EST... PARIS!!!!!!!