A goleada sobre o APOEL pode indicar uma arrancada do Real Madrid

Em situações normais de temperatura e pressão, o Real Madrid vencer o APOEL, mesmo fora de casa, não seria surpresa nenhuma. Golear o time do Chipre também não pode ser considerado nenhum feito histórico, dado o enorme abismo que separa as duas equipes. Mas, levando em conta a atual tensão que paira em Chamartín, a goleada por 6 x 0, com direito a boa atuação, doblete de duas das maiores estrelas do time - Benzema e Cristiano Ronaldo -, que vinham passando em branco com grande frequência, e classificação assegurada para as oitavas de final da Champions League, o resultado pode, sim, ter um efeito maior do que somente aquele visto em campo.


Getty Images
Getty Images

É usar essa vitória como virada de chave para a temporada


Mas vale ressaltar que nem tudo foram flores. Ainda que o placar tenha começado a ser construído no primeiro tempo, com uma bomba de Modric da entrada da área, aos 23 minutos, e Cristiano Ronaldo quase tenha aberto o marcador no primeiro minuto da partida, até aquele momento o Real Madrid estava bastante nervoso, encontrando dificuldades em construir jogadas e sofrendo mais ataques do que o necessário contra um time fraco como o APOEL. Somente após a bela finalização do croata, que contou com uma razoável ajuda do goleiro Nauzet Pérez, é que as coisas começaram a mudar.


O Real Madrid passou a mostrar a dominância que todos esperavam e os jogadores começaram a se entender melhor em campo, o que pôde ser visto claramente nos dois gols de Karim Benzema. O primeiro, após tabela entre Toni Kroos e Cristiano Ronaldo, o alemão lançou em profundidade e o camisa 9 mostrou o que lhe tem faltado em muitos lances decisivos: tranquilidade para finalizar. Dessa vez ele fez tudo certo, batendo forte, colocado, na saída do goleiro. E no segundo, após outro passe longo de Kroos, Benzema passou para Cristiano na entrada da área e o português, após deixar o primeiro defensor no chão e atrair a marcação de outros dois, apenas rolou para que o francês emendasse para o fundo das redes. Um gol digno de Real Madrid e o mais bonito da partida.


Getty Images
Getty Images

Fico feliz de, após tanto tempo, dizer: atuação impecável


Isso tudo foi apenas no primeiro tempo, que ainda teve o zagueiro Nacho marcando o terceiro gol do jogo, mostrando excelente visão e senso de posicionamento na hora de escorar para o gol a bola cabeceada por Varane, na cobrança de escanteio.


Na segunda etapa teve mais rolo compressor amassando a equipe cipriota e boa atuação da dupla de ataque. E chamo de dupla, pois, apesar de Lucas Vázquez ter sido escalado pelo lado direito do setor ofensivo, pouco se viu do espanhol em campo. Marco Asensio, por sua vez, aproveitou bem a oportunidade e, sem a presença de Isco no meio, o jovem chamou a responsabilidade da criação para si, muitas vezes assistido por Kroos e Modric. Esse, inclusive, foi um dos pontos altos do Real Madrid nessa partida. Independente da fragilidade defensiva e do pouco perigo ofensivo do adversário, Zidane abriu mão dos já tradicionais três volantes, deixando Casemiro no banco e apostando em um time mais ofensivo e veloz, com um 4-3-3 que muitas vezes virava 4-4-2 com o recuo de Vázquez para ocupar espaços no meio campo.


Getty Images
Getty Images

Sai, zica!


Voltando aos dois atacantes, Karim Benzema e Cristiano Ronaldo seguiram dando muito trabalho à defesa do APOEL e o português marcou duas vezes, aos 4 minutos e aos 9 minutos da segunda etapa. No segundo gol do gajo, após Benzema pressionar em um lance recuado e quase desarmar o goleiro, a bola sobrou para Cristiano que, mesmo sem jeito, bateu de esquerda para o gol vazio para martelar o último prego no caixão dos donos da casa. O Real Madrid seguiu atento, criando jogadas e sem ceder muitos espaços, e teve outras chances de aumentar o marcador, mas o placar já estava definido


Uma vitória importantíssima, sim, e que deve ser celebrada. O time se classificou para a próxima fase da Champions League, jogou muito bem e conseguiu algo que, até então, não havia feito nesta temporada, que é golear. Esse confronto com o APOEL veio no momento certo, após um dérbi que terminou em um insosso empate - mas onde o Real Madrid mostrou evolução em alguns pontos -, e pode marcar a grande virada de chave dos comandados de Zidane.


Getty Images
Getty Images

Vai aonde, fera?


Um goleada assim sempre acalma os ânimos e faz com que as expressões fechadas deem lugar a sorrisos, brincadeiras e um ambiente mais leve e agradável de se trabalhar. Zidane precisa saber capitalizar isso sobre os jogadores e eles precisam assimilar da melhor forma possível, para que o rendimento deles mesmos volte a ser satisfatório e o Real Madrid reencontre definitivamente o caminho das vitórias.



Siga Rodrigo Rebelo no Twitter | Siga o Conexão Merengue no Twitter | Curta o Conexão Merengue | Curta o ESPN FC