Real Madrid: em noite de aniversário, a festa foi completa em Paris

O dia 6 de março tradicionalmente já está na história do Real Madrid, afinal, foi nessa data, em 1902, que o clube foi fundado. Mas o dia 6 de março de 2018 passou a ser mais um grande capítulo na trajetória do clube, pois a vitória sobre o PSG, que serviu para assegurar a vaga nas quartas de final da Champions League, certamente será lembrada por muitos anos.


Getty Images
Getty Images

12 gols em 8 jogos na Champions


Sejamos honestos: o clube francês não tem 1/3 da tradição do maior gigante europeu, mas na hora do jogo, quando os times entram em campo, são 11 contra 11. E o elenco do PSG é, sim, um bom elenco. Mesmo com a ausência do lesionado Neymar, o time segue forte e competitivo, o que engrandece ainda mais a vitória merengue. Porém, falta uma coisa importantíssima: o costume de decidir. Experiência em momentos de pressão. Saber lidar com situações de perigo e ter a calma necessária para conduzir uma partida tão grande. Isso o Real Madrid tem de sobra em toda a sua história e, principalmente, no atual elenco, que está mais do que calejado em passar por decisões como essa.


E também falta técnico, né? Unai Emery, mesmo tendo uns 10 anos a mais que Zinédine Zidane na função de treinador, já mostrou que não sabe comandar o time em jogos decisivos. Já havia demonstrado isso na temporada passada, quando permitiu que o Barceloma revertesse um placar completamente inimaginável, e fez a mesma coisa agora, contra o Real Madrid, e pagou caro pela sua covardia e incompetência.


Getty Images
Getty Images

Dessa vez ele acertou em cheio


Já do nosso lado, temos Zidane. Criticado até dizer chega na atual temporada, ouviu poucas e boas da imprensa e, principalmente, dos torcedores - aqui no Brasil, então, o que mais se vê são jovens que acreditam que administrar um elenco profissional é a mesma coisa que jogar PES ou FIFA. Ainda assim, não dá pra eximi-lo de alguns erros. Eles existiram, sem dúvida. Escalações equivocadas, substituições fora de hora, insistência em algumas peças que não vem rendendo como o esperado... Zizou errou, não há dúvidas disso, mas ele também acertou e isso precisa ser reconhecido.


A começar pelo principal alvo das críticas: Karim Benzema. O atacante francês é bombardeado por todos os lados a todo momento e, verdade seja dita, a fase não é mesmo das melhores. Alguns chegam a, levianamente, acusar o treinador de privilegiar determinados jogadores por serem seus compatriotas. Além de uma acusação dessas ser totalmente irresponsável, beira a burrice. Benzema vem muito mal na temporada, porém nos jogos recentes teve atuações interessantes e no primeiro tempo do confronto contra o PSG teve uma boa performance, que acaba sendo abafada pelo fato de não ter mandado nenhuma bola para o fundo da rede adversária. Apesar disso, taticamente ele teve papel importante no esquema ofensivo do time e Zidane sempre enxergou nele esse potencial.


Getty Images
Getty Images

Não restam dúvidas de que Asensio é o futuro do Real Madrid


Zizou acertou em apostar em uma formação com quatro homens no meio campo, como falei aqui que seria a melhor opção. O Real Madrid tinha uma boa vantagem por ter vencido em casa e ia a campo com dois desfalques importantes: Luka Modric e Toni Kroos. O técnico francês sabia que precisava ganhar o meio para neutralizar as investidas do time da casa e foi isso que fez, com Casemiro, Kovacic, Lucas Vázquez e Marco Asensio, mantendo os dois primeiros mais fixos e liberando os outros dois para o ataque, contando com o apoio constante de Carvajal e Marcelo. Assim, quando perdia a bola, a recomposição era rápida e a equipe se defendia sem maiores sustos.


O empate em 0 x 0 não refletiu o que foi a primeira etapa, já que o domínio merengue foi amplo e seguiu no segundo tempo, até que Asensio lançou Vázquez nas costas da defesa, que cruzou para Cristiano cabecear sem chances para Areola. O empate do PSG, vinte minutos depois, nada mais foi do que uma grande falta de sorte da defesa merengue, mas de nada adiantou, já que os franceses seguiram sem oferecer perigo. Logo depois Casemiro fez aquele que seria o gol que sacramentaria a vitória e a classificação do Real Madrid.


Getty Images
Getty Images

Atuação impecável premiada com o gol da vitória


O placar poderia ter sido maior se não fosse pelo goleiro francês. Areola fez boas defesas e garantiu que o PSG não sofresse uma derrota mais acachapante no Parc des Princes. Sem dúvida foi o melhor jogador em campo pelo time da casa. Já no Real Madrid, vários jogadores tiveram atuação destacada e as mexidas de Zidane foram importantes para manter a posse de bola e a pressão no campo do adversário: Gareth Bale, Isco e Kroos nos lugares de Benzema, Asensio e Kovacic, respectivamente.


Se antes das oitavas de final o Real Madrid estava desacreditado na competição europeia, o cenário agora é outro. Com duas boas vitórias sobre o PSG, o time se coloca como um dos candidatos ao título e a confiança voltou a Chamartín. O ambiente volta a ficar mais leve e as infundadas suspeitas de corpo mole por parte dos jogadores para uma possível derrubada de Zidane caíram por terra. Elenco e treinador estão em sintonia e os atletas dão a vida em campo pelo seu comandante. Quando isso acontece, é difícil parar qualquer time.








Os 116 anos do Real Madrid foram comemorados em grande estilo na capital francesa. É mais um grande palco do futebol conquistado por Zidane e seus jogadores. Qual será o próximo? 



Siga Rodrigo Rebelo no Twitter | Siga o Conexão Merengue no Twitter | Curta o Conexão Merengue | Curta o ESPN FC