O Brasileirão acabou para o Santos, mas o ano ainda não

Felizmente o Brasileirão acabou nessa tarde de domingo. No entanto, mesmo depois de protagonizar grandes momentos de raiva e síncope na torcida, o ano ainda não acabou para os santistas.


No próximo sábado, acontece eleição para presidente do Santos. Depois de três anos à frente do clube, Modesto Roma Junior vai tentar governar o clube por outros três. Contra ele estarão Andres Rueda, José Carlos Peres e Nabil Khaznadar.

Levando em consideração os graves erros de planejamento nesses três anos, mais precisamente em seu ultimo ano de mandato, Modesto coleciona outras denúncias que devem ser levadas em consideração pelo sócio que irá votar nesse final de semana.


A ESPN, inclusive, denunciou as pedaladas fiscais do presidente com o intuito de criar um superávit nas receitas do clube. Além disso, a emissora também mostrou um boom no número de sócios torcedores do Peixe as vésperas da eleição, algo semelhante ao que aconteceu no Vasco.


Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

A semana foi turbulenta para Modesto, que tenta se reeleger no Santos. Torcida encontra-se bastante irritada com o clube, de maneira geral


Se você levar em consideração as denúncias do empresário do Ricardo Oliveira, que disse que seu atleta não recebe direitos de imagem faz tempo, a coisa fica ainda mais nebulosa. E irreal para um superávit. 


Os problemas fora de campo refletiram e muito nas pretensões do clube nessa temporada, que acabou culminando com esse modorrento empate por 1x1 com o Avaí, em plena Vila Belmiro. Um jogo que exemplificou a bagunça que é o Santos Futebol Clube nos últimos anos.


Santos FC
Santos FC

Santos joga mal, como foi de praxe no ano, e encerra sua participação no Brasileirão com o terceiro lugar


Aliás, antes do jogo, foi revelado o interesse da atual gestão santista no atacante Gilberto, ex-São Paulo. Sério, quem em sã consciência perde tempo com um jogador tão limitado e tão problemático (não aceitou ser banco do Pratto)? O Santos perde. Dá pra fazer uma lista de jogadores horrendos contratados pelo Peixe nos últimos anos.


Sem contar também a visão para o futuro treinador do clube. Modesto trabalha com nomes de Claudinei Oliveira, Abel Braga, Oswaldo de Oliveira e Jair Ventura. Desses nomes, apenas o atual treinador do Botafogo poderia ser algo comemorado, porém, muito difícil de ser contratado.


No entanto, essa visão limitada e ultrapassada do presidente não assusta, pois foi ele que apostou em Levir Culpi, um treinador que não tinha nada a ver com a história e elenco do Peixe. Um treinador que não soube aproveitar o que o seu antecessor deixou de bom.


E essa é a lição mais valiosa para o Santos nessa temporada. Não ignorar sua história, sua filosofia. Nem de perto o Santos foi Santos. Na realidade, faz tempo que o Santos não é o Santos.


A entidade virou esse catado que vimos hoje, contra o rebaixado Avaí, que ainda sim conseguiu arrancar um empate. Um time que levou Kayke, que não vai ficar no clube, como titular para um jogo que poderia ter valido o vice-campeonato. E dinheiro - R$ 11 milhões de reais -, algo que obviamente está faltando.


Seja quem foi o próximo presidente, pense bem no que você irá fazer com esse clube. Ele é grande demais para tanto amadorismo. E muito respeito com sua história, que não merece ser manchada com tanto despreparo.