Falta muito para a Copa do Mundo?

O que resta dizer dessa equipe do Santos até agora? Cada desculpa, história e promessas foram caindo por terra. O que restou, na realidade, foi um corpo que está se decompondo aos poucos e sob os olhares de uma torcida completamente preocupada.


São quatro jogos sem vencer, sendo três derrotas e um empate. E cada uma dessas patacoadas da equipe tem uma história diferente. Nesse tempo, o Santos perdeu para um time da Série C, perdeu um clássico, empatou com um time peruano, que luta na parte de baixo da tabela, e perdeu para uma equipe que tinha o pior ataque da competição.


Se não bastasse o desempenho pífio dentro das quatro linhas, a perspectiva para o futuro é caótica. Dos próximos cinco jogos, três deles serão como visitante (Atlético-PR, Corinthians e Fluminense) e apenas dois em casa (Vitória e Internacional). A última vitória do Santos como visitante, nessa temporada, foi contra o Estudiantes, em Quilmes, no dia 5 de abril. Além dessa partida, as outras poucas vezes que o time venceu fora de casa foram contra São Paulo (18/2), Ponte Preta (25/1) e Linense (17/1). Todas pelo Paulistão.


Levando tudo em consideração, especialmente as promessas vazias do treinador e da diretoria, que conseguiu tomar um "não" de um jogador que vinha negociando desde o começo do ano, o melhor para o Santos seria que a Copa começasse amanhã. Ou que o campeonato parasse subitamente.


Gazeta Press
Gazeta Press

Se durar até lá, Jair Ventura, com certeza, está pensando na parada para a Copa do Mundo, porque a situação está cada vez mais difícil.


Quando até os jogadores mais confiáveis do elenco protagonizam uma partida abaixo da média, tal qual aconteceu com vários na partida contra o Cruzeiro, sobretudo com Dodô e Rodrygo, é porque a coisa está completamente desguarnecida. Além de outros jogadores importantes que já vinham falhando em momentos da temporada.


Aliás, falando em opções de mercado, por que sempre os mesmos nomes pipocam? De onde o time vai tirar dinheiro para contratar? Se for para trazer jogador comum, a situação não vai mudar. A diretoria precisa ser muito mais incisiva no que faz.


O caldo do Santos já estragou. A única solução é se reinventar em curso, porque é impossível resetar o jogo e tomar decisões diferentes. Tanto a administração do clube quanto a comissão técnica precisam entender que a grande culpa desse caos todo é deles. Eles precisam mudar completamente esse discurso desconexo, caso contrário a casa vai cair para um lado.


Um time, que é o oposto do que dizem aos sete ventos, está cada vez mais ilhado em um mar de mentiras e dúvidas. A única salvação para a temporada é a Copa do Mundo, porque se nada der certo, ao menos teremos um futebol de qualidade passando na TV para valer o tempo perdido.