Atlético-PR 2x0 Santos: um time que virou um deserto

Assustador. Horripilante. Horroroso. Funesto. Pavoroso. Tenebroso. Terrível. Aterrador. Horrível. Disforme. Hediondo. Desprezível. Vil. Indecente. Repulsivo. Infame. Indecoroso. Sórdido. Torpe. Abjeto. Patético. Miserável. Medonho. Deplorável. Desastroso. Lamentável. Calamitoso. Mofino.


Faltam-me adjetivos para definir o que se tornou essa equipe que outrora era conhecida como Santos Futebol Clube.


São cinco jogos sem vencer, sendo duas derrotas seguidas e QUATRO partidas sem marcar gols. QUATRO. Pode piorar? Sempre pode. São TREZE derrotas, doze vitórias e seis empates.


Sabe o que é pior? É a audácia de quem está lá dentro, leiam-se jogadores, comando técnico e diretoria, em achar que está tudo bem. Faltam quatro jogos até a paralização para a Copa do Mundo. E contra equipes que estão na frente de um time que atingiu o ápice da ruindade ao chegar à zona de rebaixamento.


Era previsível que isso fosse acontecer. Um time que não propõe jogo contra uma equipe de Série C, obviamente, vai beirar o ridículo.


Gazeta Press
Gazeta Press

Sem dificuldade e com erros do Santos, Atlético-PR vence em casa e afunda o alvinegro praiano.


O planejamento medonho do começo da temporada, além do deserto de ideias que é o Santos por conta de seu comandante, pode custar uma temporada.


Deserto resume muito bem o descalabro que é ver a equipe jogar em 2018.
Não existe nada. É um vazio de ideias combinado com a mesmice de sempre jogar com o mesmo esquema. Sempre jogar a bola na área para jogadores baixos. Sempre os mesmos erros. Já é a segunda partida seguida em que o time de Jair Ventura toma um gol de bola parada em que o autor do gol estava sozinho. As únicas saídas que o time tem são Rodrygo e Gabriel pelas laterais. Sempre a mesma alteração de colocar quatro atacantes no segundo tempo para ficar com dois no meio, sendo que com três já não acontecia nada.


Não é o melhor elenco, todos sabem, mas não é para tanto. Os poucos jogadores de nível estão falhando. E eles falham porque são ruins ou porque é tudo uma bagunça?


Descompromisso ou desorganização? Qualquer resposta já é uma vergonha, tampouco aceitável, pois uma equipe profissional, com um treinador que acha que está tudo bem e um presidente que não enxerga, não comete esses erros absurdos que estão acontecendo. Times bem piores, com situações mais complicadas, jogam melhor do que o time do Jair.


A equipe está perdida em seu deserto particular, sem nenhum oásis próximo, já que nenhum jogador ventilado pela mídia quer vir para o clube. Ou é caro ou literalmente quer uma situação favorável. Sem motivação e, inacreditavelmente, sem ideias, o Peixe vai se perdendo no meio das areias de sua incapacidade. A cada rodada que passa o medo aumenta.