Volta de Gabigol é como amor de verão: vai ser rápido, mas pode ser lindo

Acho que ia entrar neste blog, conhecido por cornetar sempre que possível, e achar críticas ao Gabigol?


Achou errado!


Gazeta Press
Gazeta Press

Menino da Vila, santista e, é claro, cruel


Já aviso: esse é um texto de CALOR DO MOMENTO. Estamos todos INEBRIADOS pela volta do menino - ainda mais depois do MARAVILHOSO vídeo em que Gabigol fala "Ô mãe, essa aqui eu nunca tirei". Caíram lágrimas de seus olhos? Não? Então você desprovem de algo conhecido como ALMA.



Assim dito, que fique claro: voltarei no futuro próximo para um texto sério sobre o retorno de Gabriel Barbosa. Neste, apenas uma celebração da volta de um grande jogador, com história e, mais que isso, potencial para brilhar no Santos.


Será por menos de um ano, apenas pelos próximos 11 meses. E está tudo bem. Dá ao moleque a chance de jogar uma Libertadores pelo time do coração e, também, dá para a torcida a chance de vê-lo fazer isso, algo que não foi permitido em 2017.


Ter Gabigol no ataque que hoje tem Rodrigão é uma LIBERTAÇÃO de todo o peso que o corpo e a mente sentem quando veem tal jogador em campo.


É um amor de verão: é rápido, alivia, faz esquecer o drama da vida real. 


E pode ser lindo do mesmo jeito.


Achou que eu ia cornetar a volta do Gabigol? Não me subestime...


VILA BELMIRO, 100 ANOS, 100 JOGOS


Só faltam NOVE livros. Aproveita e me chama aqui.


Divulgação
Divulgação

Gabigol está nele, claro