Passo a passo: o erro de David Braz no 1° gol do Palmeiras

Do jogo muita gente vai falar/já falou. Vechio, por exemplo, afirmou na saída de campo que "do jeito que falavam parecia que ia ser 5, 6 a 0 para o Palmeiras". E não foi, Vecchio, por milagre. Não foi nada "parelho", como ele disse. Então, para não ficar repetitivo, nem tentar argumentar contra essa péssima declaração do meia, vou escolher, ao menos por hoje, apenas um detalhe do jogo.


Um detalhe que é importante, pois se repete há anos no Santos, não só no 2 a 1 do Palmeiras deste domingo. E não adianta os defensores, o fã clube deste jogador vir defendê-lo: se ele erra, erra mais quem insiste nesse amor.


Gazeta Press
Gazeta Press

A distância de Braz para Antônio Carlos no gol é maior do que a sua para a menina que você gosta e te despreza


O primeiro gol do Palmeiras no Allianz, com dois minutos de jogo, é simbólico: David Braz toma um baile e o adversário marca. E a bola nem precisa estar no chão: ele toma finta de corpo de um jeito que um profissional e titular de um time de Série A e que joga Libertadores (que medo...) não tem o direito de tomar.


Vamos ao passo a passo da bizarrice? Porque sim, esse é o assunto de hoje, pois se o time inteiro irrita, se o técnico irrita, vou optar por falar de quem irrita mais que todos.


A cobrança


Reprodução/SporTV
Reprodução/SporTV

A distância já é grande


Vejam que David Braz não está nada colado em Antônio Carlos com a cobrança a meio segundo de ocorrer. Ele se afasta e mantém apenas o braço "sentindo" o adversário. Até aí, é uma opção para não perder o rival, até entendo.


A fuga


Reprodução/SporTV
Reprodução/SporTV

Antônio Carlos já escapou


Mas veja que, com a bola já no ar, Antônio Carlos já fugiu pelas costas de Braz, que faz a única coisa que um zagueiro - e isso é ensinado em qualquer esoclinha para garotos de 5 anos - não pode fazer: olhar para a bola, esquecer que deve marcar alguém.


Já foi


Reprodução/SporTV
Reprodução/SporTV

Braz está com o rival em suas costas. Erro primário


Quando Antônio Carlos está posicionado para cabecear, completamente consciente do tempo de bola e do local em que está na área, Braz está já a uma boa distância do adversário, que tem toda a liberdade para escolher o que fazer.


O pulo só para sair na foto


Reprodução/SporTV
Reprodução/SporTV

Olhe o pulo de Antônio Carlos. E o quanto (não) sai do chão Braz


Quando Antônio Carlos pula para cabecear, é até constarangedor que Braz se dê ao trabalho de pular. Olhge a distância dele para a bola. É como aquele goleiro que vai sofrer um golaço e pula só para dizer que ao menos tentou. É feio e piora quando se vê assim, parado.


Gol do Palmeiras, Santos praticamente começa o jogo perdendo. Culpa de um time ruim e um técnico que insiste em erros que qualquer criança enxerga? Sim.


Mas também falha de David Braz. Como sempre.


VILA BELMIRO, 100 Anos, 100 Jogos


Você pode comprar uma das últimas edições comigo mesmo.


Divulgação
Divulgação

Braz está nele. Eu acho. Mas sem falhas