Não há espaço para a corneta: o Santos caiu de cabeça erguida e deu orgulho

Quem me acompanha sabe que, se possível, se uma brecha for enxergada para que a corneta soe... Ela vai soar. É quase como se eu buscasse um pequeno vão, um espacinho que seja para que possa fugir do óbvio da mídia tradicional, que é o elogio, e mostre um outro lado.


Mas nesta noite de terça-feira, 27 de março de 2018, não vou nem procurar essa fresta. Eu sei que ela não existe. E não há motivos para tentar caçá-la. 


O Santos foi eliminado pelo Palmeiras na semifinal do Paulista. Mas, bem, quem liga? O Santos tem menos dinheiro, menos elenco, aguentou 36 mil torcedores adversários gritando. E ganhou o jogo nos 90 minutos. Do jeito que deu. Com meninos, que é o que gostamos, se matando pela camisa. Pênaltis não são loteria, é claro, mas tudo bem. 90 minutos: vitória, 3 pontos, orgulho. Cabeça erguida, de verdade.


Gazeta Press
Gazeta Press

Pode abraçar seu amigo. Hoje não há espaço para lamentação


Não queria nada além de Daniel Guedes mostrando o quão dono da posição é e cruzando com precisão para Sasha.


Não queria nada além de Vanderlei sendo o melhor goleiro do Brasil.


Não queria nada além de Rodrygo... Rapaz, o que é Rodrygo? Vocês viram o domínio dele, com centímetros de espaço, após a rebatida em Sasha? E a consciência para tocar no canto, devagarinho, fora do alcance de Jaílson?


Não queria nada além de Veríssimo e Braz (sim, Braz, anotem aí) jogando como jogaram: conscientes, batendo quando tinham que bater, salvando quando tinham que salvar. Conscientes, repito: que atuação inteligente.


Não queria nada além de Alison sendo um monstro defensivo novamente.


Não queria nada além de Dodô sendo um gênio em antecipações e nos dando, enfim, um lateral esquerdo. Nem sabíamos mais o que era isso...


Gazeta Press
Gazeta Press

Pega a cabeça do Rodrygo e fala: você é gênio


Não queria nada além de Diogo Vitor chorando. Porque ele chorou porque sentiu que se havia acabado com um momento só criado pela raça e vontade e dedicação e sofrimento e entrega de seus companheiros. 


Mas levanta a cabeça, Diogo. Estamos orgulhosos.


O santista não pode cornetar nesta noite de terça-feira, 27 de março de 2018.


Pode, sim, ter esperança. Sonhar com o futuro é sempre bom. E é o que uma torcida que vive de meninos que se entregam por esta camisa gosta de fazer.