O que é ser santista?

Ser santista é, quando seu pai te leva pela primeira vez à Vila Belmiro, ter Giovanni em campo anotando o primeiro gol de sua vida. 


Ser santista é, quando você vai pela primeira vez sem seu pai ao estádio, ver Robinho marcar.


Ser santista é, quando enfim adulto, pagar seu ingresso para ver Neymar.


Ser santista é ouvir seu bisavô contar como foi ir ao Maracanã de fusca para ver o bimundial.


Ser santista é ligar para seu pai, ajoelhado, ao apito final do tri da América.


Gazeta Press
Gazeta Press

Ser santista é orgulhosamente mostrar esse escudo ao mundo. Ser reconhecido em qualquer lugar


Ser santista é sorrir que nem Edu, ser corneta como Coutinho, amar histórias do time com mais história no mundo, como Pepe.


Ser santista é ter um gênio da bola representando cada momento de sua vida.


Ser santista é ver que cada 'raio', cada Menino da Vila, um dia foi 'tiete' do anterior. É como se o bastão fosse passado por um clique. Quando Robinho tirou foto com Pelé, Neymar com Robinho, Rodrygo com Neymar...


Ser santista é acreditar que deuses existem. Os da bola. E que a Vila Belmiro é sua casa.


Ser santista é ter vivido 2002. É garantir que foram oito pedaladas. É gritar no gol de Elano. É querer "chorar e morrer", como Léo quis.


Ser santista é ter usado moicano em 2010. É amar dancinhas. É amar soco no ar. É ser o palco maior da criatividade do mundo da bola.


Ser santista é contar com orgulho que, sim, é também um Menino da Fila. Que viveu os anos 1990.


Ser santista é ter pintado o cabelo de vermelho em 1995. É não ter desistido ali. 


Ser santista é ficar no campo no intervalo e gritar até perder a voz.


Ser santista é ser o time da virada. O time do amor.


Gazeta Press
Gazeta Press

Ser santista é ter história na Vila. No Pacaembu. Maracanã. Morumbi...


Ser santista é gritar ao mundo que teve, sim, o melhor time de todos os tempos. 


Ser santista é ter DNA ofensivo.


Ser santista é marcar 10 e tomar 5. E sair feliz.


Ser santista é sorrir como Diego, pedalar como Robinho. 


Ser santista é ir para a praia de manhã, ir de chinelo para a Vila, é sentar na cadeira mais próxima ao setor em que Neymar vai jogar.


Ser santista é endeusar goleiro como Gylmar, Fabio Costa, Rodolfo Rodriguez, Rafael e Vanderlei. Porque o reino do futebol tem lugar especial para quem joga com as mãos.


Ser santista é usar um Z na faixa de capitão. Porque o maior capitaõ da história do futebol usou sua camisa.


Gazeta Press
Gazeta Press

Ser santista é ter driblado um vulcão em 2011... Como se fosse um Menino da Vila


Ser santista é não se importar se tem menos torcida. É sentir orgulho em ganhar de quem tem mais. Sempre. Toda hora. Em qualquer lugar.


Ser santista é respeitar a Vila Belmiro. É sentar em seu cimento. É pular no alambrado. 


Ser santista é entender o que é a base como mais ninguém no mundo. É ter uma relação de pai e filho com todo jogador que de lá vem. E dar risada das outras torcidas, que jamais entenderão.


Ser santista é entender que uma camisa branca, sem nada além do símbolo, é o que de mais bonito há no futebol.


Ser santista é ser bi do mundo, tri da América, octa do Brasil.


Ser santista é o melhor sentimento do mundo.


Há 106 anos.