Muito irrita em Jair Ventura. Mas discurso falso é o pior

Eu sei que dificilmente um técnico vai criticar seus jogadores em público. Não é saudável para a convivência interna, abre a porta que vive constantemente trancada de críticas vindas da mídia e joga até mesmo o torcedor que mais apoia contra os atletas. Eu sei disso.


Mss há maneiras de disfarçar. Há maneiras de se falar entrelinhas, de forma mais escondida. De, principalmente, não enganar o torcedor.


Jair Ventura não faz isso. E, dentre suas muitas e muitas (e muitas) falhas, essa, para mim, é a pior. A falsidade no discurso.


Gazeta Press
Gazeta Press

A cara de decepção de todo santista com o trabalho dele próprio


Porque não há necessidade alguma de, depois do Santos perder para o São Paulo por 1 a 0, com o rival dominando o jogo do começo ao fim - um rival, aliás, que sofre desde o começo do ano com futebol fraco e maus resultados -, de elogiar a atuação santista.


Você não precisa criticar nominalmente jogadores, sendo técnico. Você pode assumir que o elenco todo foi mal. Acontece. E ninguém do elenco vira às costas para o treinador.


Mas não. Jair, como é desde janeiro (e, pelo que me consta, desde o Botafogo), prefere mentir. Dizer que viu o jogo de maneira que ninguém mais viu. E, assim, blinda a si mesmo da mídia e, por consequência, dos torcedores.


"Aquela velha máxima que o clássico é decidido em detalhes", ele disse no Morumbi. Mentira. O São Paulo jogou melhor do primeiro minuto, quando quase marcou com Diego Souza, ao último, quando o Santos dava espaço para contra-ataques. 


"E o São Paulo marcou o gol em uma bobeira nossa", afirmou. Mentira. O São Paulo marcou em uma FALHA, algo muito diferente de bobeira, do lateral-direito que ele banca e do zagueiro que ele bancou como titulares.


"O Santos teve mais posse de bola, então não fomos retraídos", seguiu. Mentira. O Santos não atacou o primeiro tempo inteiro e, no segundo, só chegou ao ataque após sofrer o gol e, mesmo assim, em contra-ataques. O Santos só corre após desarmes. Não há outra jogada. Qualquer um que tenha assistido ao jogo sabe disso. Não é achismo. Está na tela, está gravado.


Gazeta Press
Gazeta Press

A cara de quem assiste ao Santos treinado por Jair Ventura


"O percentual é baixo, mas as classificações foram alcançadas", falou. Bom, mentira e verdade. O problema é: a mentira é na parte ruim, já que qual classificação com bom futebol foi alcançada? A nos pênaltis após 180 minutos sofrendo contra o Botafogo-SP no Paulista? Ou a que veio após milagres e milagres de Vanderlei contra o Estudiantes e um gol ilegal? E a verdade também na parte ruim, já que são ONZE derrotas no ano para o técnico.


"O treinador aqui está buscando alternativas. O Vitor Bueno está fazendo essa função, mas não temos. O Sasha foi improvisado, o Rodrygo", disse. Mentira. Ele escalou por dois meses Vecchio. Depos insistiu em Jean Mota por outro mês. Agora, Vitor Bueno, que nada fez quando era reserva. Agora, veja se algum menino ganhou essa chance? Zero.


E, por fim, uma verdade: "Quando perde é lembrado", completou.


Sim, Jair. O problema é que você é lembrado sempre, pois perde sempre.