Pituca é resumo da passagem de Jair Ventura pelo Santos

O Santos bateu o Fluminense, no Maracanã, por 1 a 0. Foi nesta noite de quarta-feira, cerca de 15 horas da Copa do Mundo começar. Foi inesperado, foi sem sentido e foi sem merecer (muito).


É um resultado que causa sentimentos mistos. E, apesar de não ser muito a favor disso, vou me permitir usar até mesmo um meme para brincar aqui. Pois estou realmente feliz com a vitória, já que o time poderia ficar um mês na zona de rebaixamento. Mas estou realmente... Triste? Bravo? Não sei bem. Mas o fato de que isso deve salvar Jair Ventura da demissão me deixa confuso, cortando levemente a alegria do tirunfo.


Reprodução
Reprodução

Feliz com a vitória. Triste com o que ela pode significar a curto prazo


Bem, feliz ou não, escreverei sobre alguém que, neste duelo com o Fluminense, se colocou definitivamente, na minha visão, como um resumo da passagem de Jair Ventura pelo Santos.


Jair, como sabemos, reluta em colocar qualquer um que não seja dos mais experientes em campo. Mas, quando coloca, como foi com Rodrygo, não há como fugir: precisa deixar.


O santista implora por uma solução no meio-campo. Renato? Precisa se aposentar. Alison? Vem bem, gostamos, mas não é solução para armação. Cittadini? Não. Jean Mota? Meu deus.


Eis que surge Diego Pituca. O cara que chegou para o Santos B, que poucos comentavam (afinal, se ninguém assiste ao Santos, quem assiste ao time B?) e que, ao sentir que tem a oportunidade da vida, vem jogando muita bola.


Gazeta Press
Gazeta Press

Quem diria, não é mesmo?


Pituca vem sendo o melhor jogador do Santos há algumas rodadas, desde que foi obrigado a jogar já que Jair não achou mais ninguém para escalar. E, por isso, é o resumo da passagem do técnico pelo clube: ele nunca acha, por conta própria, as soluções. Ele precisa de milagres.


E, mesmo assim, não os enxerga. Rodrygo deu certo. Pituca deu certo... Por que, no segundo tempo, ele coloca Renato e Copete, depois Vitor Bueno, e não Calabres, por exemplo?


Gustavo Henrique entrou, foi bem contra o Inter, bem contra o Fluminense... Se Veríssimo é melhor que Braz, como Gustavo não pega essa vaga? Só com milagre para Jair deixar...


Pituca é bom, como outros, mas o técnico não os usa. Quando usa é forçado e ainda ganha créditos. E, por isso, sobrevive (ainda) no cargo.


Jair, mesmo com a vitória, precisa cair. Um mês de parada pela Copa do Mundo é tempo para um técnico bom chegar e começar a arrumar o time.


Com Pituca como titular (e Braz fora, eu não resisto, preciso falar novamente).