Deve ser muito difícil achar motivos para odiar o jogador Neymar

Repararam na palavra "jogador" no título, certo? Porque, neste blog, não julgamos ninguém por postura extra campo - aqui falamos de bola. Estamos entendidos neste ponto? Espero que sim, pois ele é fundamental para as palavras abaixo.


Deve ser muito difícil odiar Neymar.


Getty Images
Getty Images

Complicado isso aí


Imagina como deve ser a vida de alguém que escreve o seguinte nas redes sociais: "O Mbappe tem 19 anos. Sofreu o pênalti do jogo numa arrancada sensacional, meteu gols. Postura ofensiva full time, brigou em todas as bolas. Monstro. 19 anos. Mas não cobrem o MENINO NEYMAR de 26 anos."


Esse tuíte existe. Agora, vamos analisá-lo: essa pessoa citou Mbappé, de 19 anos, cujo maior título é... Um campeonato francês. Neymar, aos 19 anos, levou a Livertadores para o Santos praticamente sozinho, com Adriano Pagode como segundo melhor jogador e Zé Love como companheiro de ataque.


"Meteu gols". Tal como Neymar em 2014 e em 2018. Neymar, em duas Copas, tem seis gols em 38 finalizações. Messi demorou 67 chutes, enquanto Ronaldo 74. Em três jogos de mata-mata em Copas, aliás, Neymar já tem um gol. O argentino e o português, que jogam Copas desde 2006, tem, somados, zero.


"Arrancada sensacional": qualquer um que tenha visto 10 minutos de um jogo do Santos de Neymar viu o atacante dar uma arrancada como aquela contra o Flamengo, ou aquela contra o Inter, lembram? Aquelas em que ele driblou meio time rival para parar só dentro do gol? E a arrancada desta segunda, contra o México, no segundo gol? Mata-mata de Copa, tal como Mbappé...


"Postura ofensiva full time": Neymar conseguiu jogar um mata-mata de Copa PENDURADO sem correr risco algum de ser suspenso. Não reclamou, não fez falta, não discutiu... E apanhou. Não revidou. Apanhou mais. Seguiu quieto. Teve o tornozelo pisado.


E aí, quando sentiu dor no chão, teve quem criticasse o... Teatro?



Este jornalista espanhol passou dos limites de bobagem que cabem nos curtos carcteres do Twitter para falar tamanha inverdade. 


Deve ser duro odiar Neymar.


Você precisa se reinventar a cada dia, pois a cada jogo o atacante silencia os motivos anteriores do ódio. Na bola. E se reinventar cansa. Ter seu discurso provado errado incomoda.


E Neymar consegue dar esse desgosto a cada um que o critica pelo que faz dentro de campo.


Getty Images
Getty Images

Enquanto você odeia, ele está lá comemorando e sendo feliz


Mas, veja, os absurdos seguem. Este tuíte a seguir foi escrito por um jornalista brasileiro. Olha o absurdo e a síndrome de vira-lata latejando:


"No fim, a reação do "profe" Osorio, que pareceu tão destemperada a nós do BR, estava mais em sintonia com o que o restante do mundo achou da história do pisão e da reação do Neymar do que o que nós, brasileiros, achamos.
o Zeitgeist que aqui gorjeia não gorjeia como lá."


Quem liga para o que o resto do mundo pensa? Se europeus não sabem o que significa ser brasileiro e jogar contra eles? Ser latino-americano e ter vontade de destroná-los? Quem disse que a opinião do europeu é melhor? Eu não sou vira-lata, e você?


A única pessoa que pode analisar se sentir dor ao levar u mpisão no tornozelo é certo, ou não, é, olha só... Quem sofreu o pisão. Ou você é um VODU e sente a dor que outro corpo está recebendo?


É como a psicologia que já tratei neste espaço: ou você é diplomado, ou fique quieto. 


Mas Neymar faz com que odiadores, que sentem prazer, tesão em odiar, percam a linha e exponham seu ódio em vez de se contentar em odiar sozinhos no sofá - seu verdadeiro lugar.


Por fim, comentário do André Rocha, blogueiro do UOL:



O mundo, hoje, tem sido mais receptivo a quem ama odiar, e não a quem é feliz, a quem elogia. O ódio se propagou de maneira absurda, já que no mundo dos 'likes' compartilhar ódio te dá mais cinco minutos de fama do que elogios.


Odiar parece ser o alimento da maioria da humanidade hoje. Por quê? Por qual motivo há essa necessidade de odiar alguém que está se dando bem? Por que odiar passou a ser a lei?


Odeie menos. Aproveite mais. Ou você, quando velho, vai perceber que perdeu grandes momentos do seu curto tempo de vida. E aproveitar um grande jogador de futebol é um deles.