Talvez nem o bumbum de Gustavo Nery salve o Santos-2018

Cada time de futebol é cercado de histórias curiosas - o que seriam deles sem suas particularidades? O século XXI é cheio destas para o Santos: surgimento de 'raios', quebra de tabu, tri da América... E um gol de bumbum.


A única vez em sua história na qual o Santos correu sério risco de rebaixamento foi no Brasileiro de 2008. Notoriamente, o time escapou graças a um 1 a 0 sobre o Inter, na Vila Belmiro - gol de Quiñonez. Ou quase isso.


O equatoriano puxou para a direita e, de muito longe, arriscou a bomba. Bomba mesmo: poderia estourar em qualquer lugar, pois tinha direção zero - anos e anos de análise me fazem crer, aliás, que ela iria exatamente na direção do bandeirinha. 


Mas, por destino, ela bateu no bumbum de Gustavo Nery, saiu do alcance de Lauro e entrou no gol. O Santos não caiu e todos rezam, até hoje, 10 anos depois, pelas nádegas do ex-jogador santista.


Reprodução/Google
Reprodução/Google

Atenção a este 'print'


TRIVIA I: se você joga "santos inter 2008" no Google, o primeiro link a aparecer é do Globo Esporte. E sua descrição termina com 'QUIÑONEZ ERRA...'. Eu achei incrível. ERRA. O destino é uma coisa maluca...


TRIVIA II: a bola não bateu no bumbum de Nery. Toda e qualquer pessoa que contar a história vai dizer que sim, mas o vídeo prova o contrário - ela bate na barriga de Nery. O lance é rápido e o jogador do Inter vira de forma muito veloz quando vê a bola em sua direção. No final, ele de fato está de nádegas viradas (que frase!) para o local do qual veio a bola. Mas ela bate em sua parte frontal antes. Não vou reescrever a história, porém - se o santista diz que foi no bumbum, foi. O legal é apenas poder falar em bumbum e nádegas 100 vezes em um texto sobre futebol. Achei divertido.


MAS EU DIVAGO.


Gazeta Press
Gazeta Press

Uma mão vai na cabeça (e a outra também)


Meu ponto com essa lembrança ao mesmo tempo triste e engraçada é lembrar aquele time de 2008, o pior do século no Santos e, possivelmente, o pior de sua história. Sabe qual foi o aproveitamento dele no ano? 47,2%.


Dez anos atrás, o Santos disputou 67 jogos, entre Libertadores, Paulista e Brasileiro, e venceu 26 partidas, perdendo 24. 47,2% dos pontos foram ganhos - algo pífio, claro.


O detalhe é que aquele time, com esse aproveitamento, só não caiu por um gol de sorte. Mas sabe qual o aproveitamento do Santos de Jair Ventura em 2018?


44,7%.


Sim. O Santos de 2018, após 38 jogos, tem aproveitamento pior que o do pior time da história do clube.


Nestes 38 jogos, contando os dois amistosos recentes no México (sem eles, o aproveitamento fica em 46,3%, do mesmo jeito inferior ao de 2008), o Santos venceu 14 jogos e perdeu 15.


Neste ritmo, o destino é desesperador. Quem viveu 2008 com o pensamento "se não caiu agora, não cai mais", é uma boa hora para repensar tudo e começar a rezar por gols e mais gols de sorte.


De bumbum, de costas, com VAR, do jeito que for. É necessário.