O Santos é incapaz de dar um dia de paz ao seu torcedor

Durante a Copa do Mundo, vimos seleções como o Irã, por exemplo, jogando em uma retranca muito bem armada, parecendo ser a única opção de jogo - mas, quando iam para o ataque, conseguiam surpreender. O próprio Irã quase eliminou Portugal.


O América-MG foi à Vila Belmiro na noite deste domingo com a mesma proposta: jogou lá atrás mas, quando surgiu uma oportunidade, encontrou um time desorganizado. E ganhou o jogo por isso: 1 a 0.


Claro, não foi pênalti. Mas quem mandou Alison, que precisa ir para a reserva com a entrada de Bryan Ruiz, deixado Pituca como titular, dar a chance ao árbitro de achar que ele empurrou? 


Quem mandou Serginho Chulapa escalar David Braz no lugar de Luiz Felipe, quebrando novamente o sonho de ver a dupla Luiz e Gustavo Henrique junta?


O Santos paga por ser inábil. O Santos é incapaz de dar um dia de calma ao seu torcedor.


Gazeta Press
Gazeta Press

Jair Ventura ou Chulapa? As ações são as mesmas...


Eu captei duas imagens assistindo ao jogo que exemplificam o principal problema do Santos: a falta de meio. Serginho, por algum motivo inexplicável, insistiu no 4-2-4 que nada fez de bom durante todo o ano. O resultado? Esse da foto:


Reprodução/Premiere
Reprodução/Premiere

B U R A C O


Isso mesmo: um buraco absurdo, já que os quatro atacantes ficaram, como sempre, em linha na entrada da área.


O único jeito da bola chegar? Cruzamentos e lançamentos. Foram tantos durante o jogo que a conta não só foi perdida, como causou irritação em todos que acompanharam a partida.




SESSENTA E NOVE.


Um time que joga com quatro pontas, sem meia e sem centravante. Claro que todos os cruzamentos foram inúteis. Mas eles são a chamada "muleta": são utilizados quando o jeito certo está incapaz.


Se não há meio, cruze. Tal como as muletas no lugar das pernas, prejudicam a mobilidade - mas, por algum milagre, às vezes até ajudam... Não foi o caso, claro.


Outra situação criada pelo falta de meio campo é essa a seguir:


Reprodução/Premiere
Reprodução/Premiere

Sabe quem está ali "armando"?


David Braz acha que, como há um buraco ali, pode sair armando. Não pode, não tem talento para isso. Aliás, o América teve chances em contra-ataques, desperdiçados por ruindade própria, mas oferecidos pelo buraco também na zaga deixado por Braz.


É difícil acreditar que Luiz Felipe foi para o banco para este jogador da camisa 13 "armar" o time com lançamentos para fora ou nas mãos do goleiro. É incrível.


O Santos mereceu a derrota. Pressionou e tudo mais, mas isso ocorreu porque a proposta do América foi a vencedora: dar a bola e se virar para arranjar um gol. Arranjou. E o Santos? Não...


O Santos corre sério risco de rebaixamento. Sem mais.