O Santos tem 99 problemas. Gabigol não é um deles

Uma das maiores lendas do futebol mundial é a de que o torcedor santista apoia incondicionalmente quem sai de sua base. Poderia dar 500 exemplos sobre como isso é mentira - mas só preciso dar um: Gabriel Barbosa, o Gabigol.


Lembro até hoje de um momento nas redondezas da Vila Belmiro com alguém que costumava ser meu amigo - ufa, não é mais! Contei sobre como essa história de "veio da base é amado" era mentira e sobre como, por exemplo, eu ia nas arquibancadas de Urbano Caldeira e ouvia, em diversos setores, críticas a Gabriel.


Ele, que só senta em um - adivinhe? Sim, nas famosas cativas, o setor que deveria ser extinto -, afirmou que eu estava mentindo e que "não entendia nada de Vila". Claro, ele que entendia, sentando só em um lugar e não vivenciando tudo que a Vila tem para oferecem em seu ambiente místico. Enfim...


O ponto é: quem frequenta o estádio do Santos sabe que a base, na verdade, é a mais criticada. Porque, para o torcedor médio, ela é a salvadora de tudo, em todas as situações, e todos que de lá vêm são super heróis místicos e dono de todo poder.


Não é assim. Então, quando Gabigol vai mal, mas não pior do que o resto, vira o alvo, como se ele fosse o Pelé da nova geração e precisasse salvar, sozinho, o Santos. Ele é o alvo típico do santista - uma pena, já que este deveria voltar sua raiva a quem, de fato, vai mal sempre.


A verdade é apenas uma: o Santos 2018 tem 99 problemas. Gabigol não é um deles.


Santos FC
Santos FC

GabiGOL, sim


Gabigol tem 19 tentos na temporada - os três mais recentes neste sábado, na vitória sobre contra o Vasco - 3 a 0, três dele, hat-trick, chamem do que quiser, foi lindo e calou a todos os cornetas. Amo.


Obviamente ele é o artilheiro do time no ano, e sua média é bem decente, de aproximadamente 0,50 gol por jogo (um pouco levantada por três gols contra o Luverdense, sim, mas bem, alguém tinha que marcar estes gols).


Só que, quando o Santos era um HORROR, me perdoem pela palavra (mas vocês sabem que é verdade), não havia como Gabigol salvá-lo. Nem Vanderlei, que já transcendeu este plano dos mortais, poderia.


O cara ainda tem 22 anos, lembremos, é não é um gênio do futebol. É um ótimo atacante, sim, mas não é um Neymar, resumindo. Mas a cobrança que recebe é do nível Neymar para cima. O que é inexplicável.


A culpa maior, é claro, é de Jair Ventura.


Santos FC
Santos FC

Que dupla!


Como Gabigol poderia salvar um time que jogava com 4 atacantes, sem ninguém para levar a bola para eles? Como Gabigol poderia salvar o time sozinho se este nunca, NUNCA, subia a marcação para presisonar a defesa rival, algo que ele fez com maestria em 2015?


Como Gabigol poderia salvar o time se ficava fixo na área, por ordens do "técnico" anterior, que não permitia uma movimentação, primeiro, pela esquerda; depois, como um 'falso 9'?


Gabigol é o menos culpado pelo ano ruim do Santos até aqui.


E, junto a Sanchez, vai se transformando no principal salvador.


Gabigol não é gênio. E não precisa ser. O que ele precisa é ter o respeito de vocês. Porque, sem ele, o rebaixamento é realidade. Com ele, bem, vai saber...


O Santos tem 99 problemas.


Gabigol não é um deles. Isso eu posso te garantir.