8 amareladas da "Geração do Quase" do Santos

Pode ser que o Santos se classifique para a Libertadores de 2019 via Brasileiro? Pode. Pode ser que o Santos passe a produzir uma arrancada história a partir deste texto e ganhe tudo sem mudar o elenco? Pode. Muita coisa positiva pode acontecer a partir do segundo que eu escrevo essas palavras.


Só que nada indica que vai.


E, por isso, no embalo da lamentável derrota para a Chapecoense no Pacaembu, relembro as 8 clássicas amareladas que a "Geração do Quase" do Santos, este elenco que desde 2015 trucida esperanças, tem como mais simbólicas, as que dão as razões para esta alcunha.


- Você recebe o novo texto em primeira mão me seguindo no Twitter e/ou no Instagram, ou curtindo a página do Show da Vila, meu podcast


Gazeta Press
Gazeta Press

Uma expressão símbolo


Santos 0 x 1 Chapecoense – 12/11/2018 – Brasileiro


O Santos teve a chance de, logo após fugir do rebaixamento ao alcançar 46 pontos, entrar na zona de Libertadores contra o Palmeiras. Perdeu fora de casa. Normal. Mas, em seguida, teve a mesma chance. Era só ganhar da fraquíssima Chapecoense, que está na zona de rebaixamento, em casa, no Pacaembu. Perdeu sem chutar ao gol, praticamente.


Cruzeiro 1 (3) x (0) 2 Santos – 15/08/2018 – Copa do Brasil


Essa é simbólica pois traz o roteiro clássico: o Santos precisa de um milagre; começa a produzir o milagre; a torcida, que tinha certeza de que ele era impossível, começa a achar que dá; o time faz questão de, no último instante, tirar esse gosto. Foi assim ao virar um confronto improvável contra o Cruzeiro, no Mineirão, só para errar todos os pênaltis na disputa final.


Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Desculpa que é bom ninguém pede


Santos 0 x 1 Barcelona-EQU – 20/09/2017 – Libertadores


O Santos abre o placar no Equador e consegue sair da ida com um empate. É só segurar o 0 a 0 em casa. Levir Culpi escala Leandro Donizete. David Braz falha. O resto vocês sabem de cor. 


Cruzeiro 2 x 2 Santos – 20/11/2016 – Brasileiro


Até a antepenúltima rodada do Brasileiro de 2016, o Santos manteve vivo o sonho do título. Vinha bem, enquanto o Palmeiras caía de produção. Chegou a virar sobre o Cruzeiro no Mineirão. Diminuía a vantagem para 4 pontos. E aí tomou o empate, perdeu na rodada seguinte para o Flamengo e, claro, ainda teve que batalhar na rodada derradeira para não perder o vice.


Gazeta Press
Gazeta Press

Eternas dores e sofrimentos


Internacional 2 x 0 Santos – 19/10/2016 - Copa do Brasil


O Santos conseguiu a proeza de perder para o time reserva do Internacional que seria rebaixado. Depois de estar dominando o confronto com um 2 a 0 na Vila. Levou um gol em casa, entregou de vez fora.


América-MG 1 x 0 Santos – 07/08/2016 – Brasileiro


No dia 4 de agosto de 2016, o Santos alcançou pela primeira vez em 10 anos e três meses a liderança do Campeonato Brasileiro. Três dias depois, o Santos (líder, repito) enfrentou o América-MG, lanterna. 1 a 0 para o Coelho e a liderança nunca mais foi vista desde então, mais de dois anos passados.


Gazeta Press
Gazeta Press

Rezai para que acabe um dia


Palmeiras 2 (4) x (3) 1 Santos – 02/12/2015 – Copa do Brasil


A maior amarelada de todas veio no dia 2 de dezembro de 2015. Um dia o qual jamais esquecerei e cujo trauma está eternizado. Pouco precisa ser dito sobre este dia. Todos sabemos: é o maior símbolo do quase.


Santos 0 x 0 Flamengo – 19/11/2015 - Brasileiro


Para finalizar, a primeira foi até difícil de ser escolhida. Porque na reta final do Brasileiro de 2015, o Santos conseguiu a proeza de entregar uma vaga certa na Libertadores com derrotas para Vasco e Coritiba, fora de casa, mas com time reserva. Claro, o time foi reserva pois Dorival Jr. teve a estapafúrdia ideia de poupar jogadores para a final da Copa do Brasil, em vez de garantir em ao menos uma via a sonhada vaga. Mas fiquei com a amarelada contra o Flamengo porque ela foi dias depois do Santos trucidar o Palmeiras, o São Paulo e o Corinthians pela Copa do Brasil - mas, acima de tudo, lembremos do 2 a 1 sobre o Palmeiras, um jogo que se terminasse 8 a 1 ninguém reclamaria. O sonho foi construído só para ser destruído num 0 a 0 mortíssimo contra um Flamengo que nada tentou. E o Santos aceitou.


Pois ali era formada a Geração do Quase.