Que a aposentadoria de Renato marque o fim de 2002 no Santos

Fábio Costa; Maurinho, André Luis, Alex e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano e Diego; Robinho e Alberto. Técnico: Emerson Leão.


Eu sei de cor até hoje. Eu tenho um pôster em forma de caricatura dessa escalação no meu antigo quarto. É o time que me deu o dia mais feliz da minha vida.


Mas chega. Às vezes precisamos que algo que amamos vire apenas história, e não viva eternamente em nosso presente.


Renato, o mais recente nome daquele time a vestir a camisa do Santos novamente, se vai no próximo sábado. E precisa ser o último.


- Você recebe o novo texto em primeira mão me seguindo no Twitter e/ou no Instagram, ou curtindo a página do Show da Vila, meu podcast


Getty Images
Getty Images

O dia mais feliz da minha vida. Porém, é passado


É claro: é necessário ter carinho para com o que nos deu tamanha alegria, o maior título em termos de emoção e sentimentos neste século. Mas é também necessário deixar ir.


Por que toda janela de transferências temos que aguentar pedidos/boatos de que Diego e Robinho podem voltar? Por que não podemos apenas superá-los?


Por que tivemos que aceitar Elano, se arrastando entre 2011 e 2016, como titular muitas vezes? Por que, aliás, cogitamos o mesmo para treinador do profissional, sem antes não passar por anos e anos de estudo, treinamento na base, times menores e mais?


Por que, volta e meia, cogitam Leão para algum cargo de dirigente - e, alguns mais exaltados, para técnico?


Por que os mesmos nomes que comandavam o clube naquele ano ainda tentam voltar ao poder até hoje?


O Santos e o santista precisam, mesmo, ser tão apegados ao passado? Não é essa obsessão com o que já ocorreu um dos motivos para não evoluirmos, estar simplesmente aceitando ficar no 'quase' eternamente, como se esperávamos alguém de 2002 vir e nos salvar?


Relacionamento abusivo. Precisa parar.


Outros Meninos da Vila


Falando em passado, um jeito de superá-lo é simplesmente guardá-lo na memória. Por isso, o clássico CULT Outros Meninos da Vila está de volta, mas no Instagram: