É só futebol. Mas Gabigol longe da Vila dói

Eu sei que o dinheiro não permitia ao Santos sequer tentar brigar para mantê-lo.


Eu sei que não devemos sofrer pelo que não é tangível, pelo que não temos influência.


Eu sei que não havia a mínima esperança de que ele ficasse.


Eu sei que não se deve idolatrar jogadores.


Eu sei que não devemos ficar tristes.


Eu sei que é só futebol.


Mas, meus caros, essa doeu na alma. 


Reprodução
Reprodução

Faz todo o sentido do mundo. E mesmo assim dói


Não é o que eu precisava para abrir os trabalhos no blog neste 2019...


Eu não queria falar da falta de contratações - pois eu dou o Paulista inteiro para que isso se resolva.


Eu não queria falar de Sampaoli treinando com Jean Mota titular, porque... Bem, porque eu não tenho paciência para tamanha bizarrice.


Eu quero falar de Bruno Henrique indo embora, mas ainda não se concretizou.


Eu queria dar tempo ao tempo.


Eu queria falar de coisa alegre.


Mas a dor foi maior.


Gabigol em outro time brasileiro me fez abrir o computador e escrever qualquer coisa só para desabafar. 


Porque, na verdade, eu não sei o que dizer.


É só triste.


Mas, como santistas, sejamos sinceros: estamos acostumados à dor. Vai passar. Ou não. Sei lá...


Agora esse blog brinca no Youtube também