Santos 1 x 1 Corinthians: 10 coisas que gostei (ou não)

Calma. Respira. Esquece do resultado. Troféu de amistoso? Quem liga. Primeiro jogo de temporada, fora de casa, sem reforços, com técnico novo, estilo mudado, ideias começando a entrar na mente.


Com tudo isso na cabeça, dá para comentar um pouco da visita do Santos ao Corinthians na tarde deste domingo. E, esquecendo completamente o resultado, reafirmo, escolhi 10 pontos que gostei de ver - ou não.


Elogios e críticas e o que podemos levar para a temporada que, lembre-se, só começa semana que vem - e mesmo assim no Paulistinha... -, abaixo.


- Você recebe o novo texto em primeira mão me seguindo no Twitter e/ou no Instagram, ou curtindo a página do Show da Vila, meu podcast


Gazeta Press
Gazeta Press

Cara de terno insatisfeito: GOSTO


Sem medo de jogar fora de casa um clássico


O Santos foi a té Itaquera e teve mais posse de bola? E propôs mais o jogo do que se retrancou? Colocou os 10 jogadores de linha com alguma frequência acima da linha de meio campo? Sampaoli não desfruta de um elenco exatamente bom - mas conseguiu colocar alguma ideia positiva na cabeça desses caras... Há quanto tempo você não via o Santos tomando atitude em um clássico fora da Vila Belmiro?


Victor Ferraz segue o mesmo...


Eu até anotei o começo empolgante de jogo do lateral direito santista: aos 4 minutos, falhou na coberura defensiva, gol do Corinthians; aos 7 minutos, tomou bola nas costas e precisou dar um carrinho (que, inclusive, foi sem força para derrubar Gustagol) para impedir o gol corintiano; depois, quando Vanderlei fez um milagre, falhou em bola aérea de novo. No ataque, cruzou mal, demorou com a bola (talvez o único que não tenha sacado que o jogo de Sampaoli é dinâmico) e pouco propôs. É difícil...


Sampaoli doido na área técnica


Um técnico que não senta em cooler. Que não fica parado. Que fica cobrando o tempo todo. Que chuta copo d'água. Que sabe que sempre dá para melhorar. A reação da mídia presente, em seus tuítes, ao estilo de Sampaoli, o susto... Só mostra que ele é diferente.


Jean Mota... Não foi mal?


Lógico que o cenário ideal é Jean Mota ou fora do Santos, ou bem no fundo do banco. Mas Sampaoli, sem muita opção, bancou o cara de titular e ele... Não foi mal? Geralmente a cada toque na bola dele, dois são errados, desafiando a matemática. Em Itaquera, tomou boas decisões...


Bruno Henrique precisa ser vendido


Podemos falar da clara falta de vontade e das zero tentativas de arrancada ou drible, sempre optando por toques de lado ou para trás. Mas podemos falar também das falhas de domínio (no começo do jogo, em vez de dominar a bola e arrancar, preferiu deixá-la passar e ir no embalo. O zagueiro pegou...), do fato de que errou toque de letra e armou o contra-ataque do primeiro gol do Corinthians...


Posicionamento


Ao menos com os titulares o time foi colocado lá em cima, quando sem a bola - com os reservas, anotei um bom lance, aos 35 minutos do 2°t, em que a zaga do Corinthians tentou inverter a bola e o Santos tinha mais gente do que o rival no campo de ataque. A bola ficou com Arthur Gomes. Ótimo.


Bola aérea


O desastre de sempre, principalmente na região marcada por Luiz Felipe e Victor Ferraz. Duas bolas ali, um gol e um milagre de Vanderlei. Curiosamente, nem quando a bola aérea foi positiva foi por culpa do Santos: o gol pelo alto foi contra, ou seja, sem toque santista...


Inversões de jogo


O Santos o tempo todo buscou inverter o jogo. O motivo é óbvio: é do outro lado do campo que estão os jogadores livres. Claro, o talento para a inversão não é exatamente grande, mas a ideia esteve ali o tempo todo. Gostei e muito.


Felippe Cardoso buscando o jogo


Falta um pouco de talento, ou ser mais refinado, mas Felippe pode buscar seu espaço caso não cheguem muitos reforços para o ataque. E, se chegarem, pode ser uma boa ppção de banco. Yuri Alberto passou longe de me irritar, também...


Vanderlei


O homem é bom, não é mesmo?


Brinco no Youtube também: