Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe


É um poema.


Quando você percebe que é santista, você percebe, ao mesmo tempo, que sabe declamar tal poesia de cor.


Dorval, Megálvio, Coutinho, Pelé e Pepe.


Getty Images
Getty Images

O maior quinteto da história


Você pode não ter assistido um minuto sequer deles juntos. Você simplesmente sabe: é o maior quinteto que a história do futebol já viu.


O com mais gols, o com mais talento, o com apresentações mais vistosas, marcantes, vitoriosas.


Vocês simplesmente sabe.



Todo santista tem, na sua "árvore genealógica" de torcedor, um ramo que o mantém ligado a Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe.


Seja o pai, a mãe, o avô, o bisavô, torcedores do Santos ou não: alguém próximo a você tem uma ligação tão forte com esse ataque que, quando você virou santista, automaticamente tem na mente essa escalação.


E você deve valorizar isso. Para sempre.


Como Coutinho, primeiro do quinteto a deixar este plano, é: eterno. Dorval, Mengálvio, Pelé, Pepe... E Zito, Gylmar, Lima, Dalmo, Calvet, Mauro... Todos, um dia, vão se juntar novamente. No céu, ou no que você acreditar como lugar em que quem é eterno está.


Se você é santista, você acredita em milagres. Esses caras, todos, jogaram aqui. Juntos. Quer algum milagre maior que esse?


Santos. O nome não é coincidência.