E Muricy improvisa mais um

Divulgação / São Paulo
Divulgação / São Paulo

Se acertou esse cruzamento da foto, Lucas já tem uma média melhor que o Reinaldo


Além de expert em três zagueiros, bolas paradas e patadas em jornalistas, Muricy Ramalho tem um dom raro: uma especialidade incrível em improvisar jogadores.


Principalmente naquela primeira passagem, direto viamos aquele volante na lateral, o ala que jogava de meia, e por aí vai. Em 2008, por exemplo, a alegria do cara era escalar volantes. Em um bom número daquela campanha do Brasileirão, vimos o São Paulo jogar com Jean, Zé Luis, Hernanes, Jorge Wagner e Richarlyson. Juntos.


Pois bem. Nessa excursão divertida pela Disney, lá em Orlando, voltaremos para casa com dois reforços na bagagem. Um deles será o Kaká, que tá se acertando e logo será anunciado, e o outro é nosso novo lateral esquerdo: Lucas Evangelista.


É, aquele mesmo. O nosso meia, que direto entrava nos jogos, fazia meia dúzia de firulas pela esquerda que nunca davam em nada. Dessa vez, foi pros EUA, fez três amistosos no meio-campo, e ganhou a vaga do crack Reinaldo.


O Muricy elogiou, disse que gosta de jogador assim, e que conta com o moleque. Aí o problema, caras. Sem cacuete de marcação, é grande a chance de ele ser mais um dos mil laterais que passaram por aqui nos últimos tempos: péssimo.


Eu até gosto do Evangelista. É bom de bola, tem noção de jogo, vai render quando tiver experiência e, principalmente, me possibilita uma infinidade de piadas junto com o Kardec. O problema é que se o Muricy botar o cara pra jogar na lateral e ele for mal, vão começar a pegar no pé dele. Aí, é queimar um jogador que pode ter futuro. E, convenhamos, já foi provado que nosso professor não é o melhor do mundo em tratar com a garotada da base, né?


Parece que é obrigação sempre termos um coringa no time, tá loco. Douglas, Cícero, Richarlyson... É o tipo de jogador que joga em um monte de posição, mas esquece que joga mal em todas.


Mas, enfim, vamos esperar. Precisamos de um lateral pra quando o louco (e craque) do Alvaro estiver suspenso, e a concorrência ali no ataque é maior. Quando voltar o Brasileirão a gente analisa se o moleque merece uma chance mesmo ou não. Até porque, ser melhor que o Reinaldo não é nenhum grande mérito.