O São Paulo que se vire: Hernanes não pode nunca mais deixar o Morumbi

Gazeta Press
Gazeta Press

Eu sem Hernanes no meu time


O mundo era triste e sombrio da última vez que Anderson Hernanes de Carvalho Viana Lima não vestiu vermelho, preto e branco. E a infeliz tendência é que os dias de caos e desordem voltem a rondar o reino do Morumbi sem a presença do camisa 15, também conhecido como o melhor jogador do Brasil.


Em (mais uma) novela que envolve o São Paulo, o meio-campista Hernanes foi liberado dos treinos hoje para se reapresentar ao Hebei Fortune, time chinês que detém os direitos do jogador e o emprestou ao Tricolor no meio de 2017. Por mais que o vínculo temporário seja até junho deste ano, havia uma cláusula em que os chineses poderiam chamá-lo de volta - o que aconteceu no começo de dezembro.


Em tempo, era necessário para o negócio. Não vamos esquecer que mais da metade do salário era pago por eles, e, não fosse essa cláusula, ele provavelmente não teria vindo. E vocês sabem bem onde poderiamos estar nesse momento sem Hernanes.


É fato que desde então o São Paulo tenta de todas as maneiras pelo menos deixar o jogador até o meio do ano por aqui, quando aí teria tempo para tentar uma investida financeira e ficar com o craque em definitivo. A questão é que não é fácil negociar com os chineses e, convenhamos, não da para falar que eles estão errados: o produto Hernanes está valorizado.


Depois de um campeonato brilhante, mostrando ainda mais futebol do que quando nos encantou antes de ir para a Europa, é sabido que o meio-campista quer ficar no Brasil, até para ter chances de ser convocado para a Copa do Mundo (o hexa seria realidade). Tenho certeza que fará de tudo para convencer os chineses de que precisa ficar, mas nada adiantará se o Tricolor não fizer uma boa proposta. E sua permanência precisa ser em definitivo: se for mesmo para sair em junho, e até melhor (lágrimas) que vá agora. Pelo menos não nos iludimos mais. 


Não sei quanto os chineses pedem por Hernanes, mas o São Paulo PRECISA fazer alguma coisa. Que seja vender Pratto, comprar o Profeta e ir de Brenner pra temporada. Ou vender Rodrigo Caio para o Zenit e aproveitar Maidana no lugar. Qualquer coisa, seja o que for.


Hernanes não tem mais valor de venda e, convenhamos, não precisa. O ganho do Tricolor com o camisa 15, dentro e fora de campo, supera qualquer milhão que poderiamos ganhar a essa altura com ele. O jogador pode, sim, ser chamado de ídolo, voltou ao clube em um momento crítico, nos salvou do que seria a maior vergonha de nossa história e já mostrou, mesmo aos 32 anos, que é muito, mas muito superior ao nível do futebol brasileiro. O ganho é imediato e NECESSÁRIO. Em Raí e Ricardo Rocha confiamos. 


Eu entendo que os valores não são baixos, que a situação econômica é difícil (isso na verdade eu não entendo, mas é pauta pra outro dia), mas eu não quero nem saber. Se foi feito um esforço sobrenatural por Maicon (meu deus do céu), que por Hernanes seja absurdamente maior. O São Paulo que se vire, mas o Profeta não pode nunca mais sair do Morumbi.