Dorival disse 'basta' e o São Paulo enfim deu sinais de evolução

Divulgação / São Paulo FC
Divulgação / São Paulo FC

Tem que manter isso aí, viu?


Sou daqueles que acha que Dorival Júnior é bom treinador, mas nada de mais. Creio, inclusive, que teve em mãos um time bem melhor que o de Rogério Ceni e que, não fosse Hernanes, possivelmente não teria virado o ano no São Paulo.


Mas virou, independentemente do motivo. E começou mal, com muitos problemas, mas, desta vez, o motivo era muito importante. Não que Dorival seja um primor de técnico, mas fica evidente seu descompasso com a diretoria (podem ler Raí e Rocha). Não falam a mesma língua, não dançam a mesma música, e aparentemente ficariam assim mesmo com alguém cedendo.


Nesta quarta-feira, Dorival parou de ceder. Deixou de escalar Nenê e Diego Souza e colocou em campo um time muito mais parecido com as suas convicções e histórico. Com Valdívia e Brenner, por exemplo. Mobilidade, velocidade, transição e intensidade. O que, claramente, faltou ao Tricolor no início da temporada. Muito por conta dos dois reforços inicialmente citados.


O resultado não pode ser toda a referência, muito porque com certeza existem no Paulista muitos times mais fortes que o CRB, mas é necessário colocar na balança. Dorival deixou claro desde o início que não pediu Nenê e Tréllez, e, não tenho a menor dúvida, foi colocando-os em campo muito contra sua vontade. Não deu certo, provou seu ponto e agora deve ter espaço para impor seu estilo.


Logo no começo, teve que abrir mão da ideia de encher o time de jovens e, aos poucos, a safra de Cotia foi desaparecendo do time profissional. Depois, começou a escalar os reforços e viu o time não andar: engessado, imóvel, sem perspectiva. Dessa vez, tudo foi diferente: estamos longe de ter um time competitivo para brigar por título, mas ficou evidente que, muitas vezes, nome não ganha jogo -- e aqui parece ser o caso.


O São Paulo só tem algum espaço para evolução se deixar Dorival com suas ideias. Que o time titular de hoje seja mantido.




Jean: 6
Uma defesa excelente, mas algumas bobeiras que creio ser o nervosismo. Mas em geral tá bom, e a jogada pro segundo gol é um tapa na cara dos ~~~ain mais o Sidão sabe jogar com os pés~~~ que tem por aí. É o meu titular, e eu daria sequencia desde já.


Militão: 8
Impressionante que tivemos que improvisar um moleque da base pra resolver essa lateral. Resolve essa renovação logo, por favor.


Rodrigo Caio e Arboleda: 6
Que saudade da minha dupla de zaga. Fiquem aí e não se mexam, por favor.


Reinaldo: 5
Ganha 0 por ser uma avenida, ganha 10 por não ser o Edimar. Na média, 5.


Petros: 5
Pouco trabalhou e fez bastante pra chegar ao ataque, mas não foi muito efetivo. Bem discreto.


Hudson: 7
Um dos melhores em campo. Mesmo não tendo todas as características de infiltração que a gente precisaria, avançou bem e criou boas chances. Juça e Petros que se cuidem...


Cueva: 6
Foi bem mas vou xingar pelo pênalti.


Valdívia: 8
Muito bem. Também tá longe de ser meu titular dos sonhos, mas ajuda bastante. Vamos torcer pra recuperar de vez a boa fase e se manter em alta.


Marcos Guilherme: 6
Precisa urgentemente de descanso. E falo sério: se perder o MG, vai dar (ainda mais) ruim nesse time.


Brenner: 7
Diego Souza de 9 é o caralho, Tréllez não devia nem ter vindo. A não ser quando for poupado, Brenner precisa ser titular em todos os jogos possíveis até sua venda pra Europa -- que a julgar pelo São Paulo deve aconter em junho ou no máximo janeiro. Malditos.


Dorival: 8
Cara, eu não sou seu fã. Longe disso, aliás. Mas agora os caras já viram que fizeram merda, e depende de você esfregar na cara de geral. Continue com essa postura.


Nenê: 4
Ruim.


Diego Souza: 5
Ruim (de centroavante).


Paulinho: 6
Merece mais chances.


Notas:
- Falei muito dos problemas Dorival x Diretoria em si e pouco do jogo, mas passo excelente pra classificação e que continue assim.
- E quer saber? Foi ainda melhor ter colocado Nene e Diego no fim, só pra deixar ainda mais clara a diferença.
- Como forma de protesto, eu tinha prometido que só ia voltar a escrever quando o Tréllez fizesse o primeiro gol. Mas era mais possível que eu morresse de fome. 
- Vamo, São Paulo. Desgraça.


Rubens Chiri / São Paulo FC
Rubens Chiri / São Paulo FC

#PokoSãoPaulino