Por que o promissor Iago Maidana não ganhou oportunidades no São Paulo?

Aproveitando o enfadonho domingo, o São Paulo decidiu dar um pouco de emoção no mercado da bola anunciando a contratação de Diego Souza. Disso, no entanto, não vou falar para não me irritar mais, porque não concordo com a contratação de um atleta de 32 anos por R$ 10 milhões. Com menos holofotes, porém, o time cedeu o zagueiro Iago Maidana para o Atlético-MG, e esse será o assunto do texto de hoje.

A informação do empréstimo de Maidana para o Atlético-MG foi confirmada neste domingo. O clube mineiro ficará com o atleta por um ano, sendo que seu contrato com o São Paulo se encerra em dezembro de 2018. A partir de janeiro da próxima temporada deve assinar um acordo de quatro anos e ficar com 50% do atleta. Uma aposta válida que o Tricolor não quis fazer por pura e simples birra política.

Para quem não se lembra, Iago Maidana foi contratado em 2015 depois de passagens pela seleção brasileira sub-20. A história, no entanto, foi bem estranha. O jogador pertencia ao Criciúma e foi cedido ao Monte Cristo, da terceira divisão goiana, por R$ 800 mil. Dias depois, o São Paulo, presidido por Carlos Miguel Aidar, o contratou por R$ 2 milhões. A negociação gerou desconfiança e o Tricolor foi ameaçado até mesmo de perder pontos naquele Brasileirão, mas as partes envolvidas ganharam até uma pena leve pelo esquema.


Gazeta Press
Gazeta Press

Iago Maidana fez ótima campanha com o Paraná na Série B 2017


O São Paulo fez o correto com Maidana desde o início. Jovem e com potencial, foi colocado nas equipes de base e participou da Copinha em uma edição. Esteve também no elenco campeão da Libertadores Sub-20 em 2016, ao lado de Lucas Fernandes e David Neres, mas como reserva. Depois, foi emprestado para o Paraná que disputou a Série B em 2017, já como titular. Era a chance do menino provar que tinha amadurecido e que merecia mais oportunidades no time que o contratou anos antes.

No Paraná, Maidana foi muito bem e ajudou a equipe no acesso para a primeira divisão, inclusive marcando alguns gols importantes durante a campanha. Quando o empréstimo acabou, sua utilização era esperada no São Paulo, principalmente com a aposentadoria de Lugano e uma possível saída de Rodrigo Caio. Maidana é novo, com potencial, boa presença na bola área e poderia ser mais útil que os fracos Aderllan e Bruno Alves. Por birra política e para não ficar marcado como ‘o jogador do Aidar’, ela sai do clube sem vestir a camisa tricolor. 

Por outro lado, vale lembrar que Leco, o atual presidente do clube, fazia parte daquela diretoria e talvez tenha medo de algo acontecer. Outros dirigentes atuais do São Paulo também já estavam no poder na época. O temor de uma caixa de pandora seja aberta com a utilização de Maidana talvez explique se livrarem dele o mais rápido possível. Afinal, vale mais salvar a própria pele do que ajudar o clube na cabeça desses que comandam o Tricolor. Maidana nunca teve culpa dos problemas, mas teve seu nome envolvido. Que tenha sorte na carreira e esqueça que por aqui passou, uma forma de amadurecer ainda mais.

Em atos mesquinhos como esse, o São Paulo escorrega e perde a chance de reforçar seu elenco. Pelo contrário, prefere dar a chance de um rival da primeira divisão utilizar uma boa peça em seu elenco, enquanto aqui ficaremos sempre pensando como seria se Iago Maidana tivesse realmente sido jogador do SPFC em algum momento da carreira. Outra bola fora da diretoria. Não que a gente se surpreenda neste ponto da vida, mas é cada nervoso que passamos...