São Paulo: o apoio de Aguirre a Diego Souza é bacana, mas não pode atrapalhar a equipe

Diego Aguirre chegou ao São Paulo fazendo elogios a Diego Souza em sua apresentação. Enquanto o meia/atacante ouvia as cornetas da arquibancada e da imprensa ecoando por todos os lados, o treinador mostrou que estava disposto a lhe dar enormes doses diárias de confiança, mesmo que isso significasse alguns jogos na reserva. Hoje, Diego Souza é titular sem ter mostrado um bom futebol que justificasse os 10 milhões de reais investidos e isso pode ser bem prejudicial para toda a equipe.

Recuperar a confiança de Diego Souza é, sim, muito importante para o São Paulo, ainda mais enquanto Gonzalo Carneiro não pode estrear e Tréllez continua sendo o atacante esforçado que não sabe fazer gols de sempre. Isso, claro, sem contar Brenner que voltou para o sub-20 (ainda bem) e pode incomodar mais os zagueiros adversários do que os demais. O problema é que essa atitude nobre de Aguirre não pode ser colocada à frente do resto do time.


Gazeta Press
Gazeta Press

Diego Souza continua sem render o esperado (por alguns) no Morumbi


Sabemos que torcedores, jornalistas e até mesmo dirigentes querem Diego Souza fora, pelo menos, do time titular. Negociações já foram especuladas, mas ele ficou. Depois de sentar no banco em alguns jogos, Diego foi titular na última partida, contra o Fluminense. Foi, como sempre, uma presença nula no ataque tricolor, não segurou a posse da bola, não serviu companheiros e nem finalizou de forma decente. Se não fosse o gol de Militão, estaríamos aqui falando sobre como o atacante perdeu um gol feito alguns segundos antes, só isso, nada mais.

Mesmo com a apresentação ruim no Maracanã, Aguirre decidiu elogiar o jogador e dar mais um voto de confiança. Sim, Diego Souza será titular contra o Atlético-MG, no Morumbi, neste sábado. Não seria melhor colocar o jogador aos poucos no time e dar minutagem para ele, por exemplo, com a equipe já vencendo um jogo de forma confortável? Por que sacrificar ofensivamente o time em detrimento da recuperação de um único atleta? Contra o Fluminense, Tréllez jogou poucos minutos, mas pressionou mais a saída de bola dos zagueiros rivais do que Diego Souza e isso pode ser importante em um jogo maior.

Aguirre ainda está montando a equipe, tentando encaixar sua filosofia e acredito que esse apoio incondicional a Diego Souza tem muito a ver com isso, mas ser cabeça-dura pode ser um problema e tanto, principalmente se o atacante continuar sem fazer gols e com apresentações ruins. Os 10 milhões não valeram a pena, isso é mais do que óbvio, resta saber até quando veremos o jogador em campo.