Quando o campeonato pediu grandeza, o São Paulo voltou a hesitar (e perder)

Gazeta Press
Gazeta Press

Mais uma derrota do São Paulo no Allianz Parque: muitos anos de freguesia ainda estão por vir



Uma dica fundamental para o São Paulo e que me faz começar esse texto: não adianta passar invicto por times mais fracos, que estão na zona de rebaixamento – como Santos, Ceará e Paraná -, quando o time não rende o mesmo ao mínimo sinal de grandeza dado pelo campeonato. Brincar que é líder, mesmo que por 24h, nada significa quando o time volta a tremer e ter um apagão no estádio rival.

Sidão será culpado, claro, mas isso é assunto para outro texto, que sairá em breve. Reinaldo terá dedos apontados pela falta de velocidade, mesmo que parte da torcida ame seus gifs e seu “carisma”. Petros será cobrado porque despencou o time de qualidade após sua entrada e boa parte da torcida não consegue perceber isso. Nenê e Diego Souza bateram em outros times, mas nem viram a cor da bola neste sábado.

Quando o Brasileirão exigiu grandeza do São Paulo, o time se escondeu. Fez um primeiro tempo ok, achou um gol em vacilo da defesa adversária, mas aí teve os seus piores momentos de volta na segunda etapa. Ganhar do Palmeiras hoje era fundamental para dar moral numa possível briga pelas primeiras posições do campeonato. O Tricolor estava empolgado, eles em crise. Era a chance ideal, mas o São Paulo não sabe aproveitar os presentes que a vida dá, ele simplesmente joga fora sem sequer olhar.

Eu avisei, após a vitória contra o Botafogo, que o time não poderia se empolgar, e a torcida muito menos. Sei que faz parte e, às vezes, é difícil se conter, mas o São Paulo é uma equipe que parece não ter ambição de ser grande e tropeça sempre que vê uma adversidade na sua frente. Sendo assim, mais uma derrota no estádio deles e um tabu que vai ficando cada vez mais inconveniente.

Se há algo de positivo nessa vitória, é que não existe mais invencibilidade tricolor nesse campeonato. É bom que aí acabam com essa palhaçada, mostram que o time é apenas normal e não essa equipe de craques que pintaram anteriormente. Tropeços acontecerão e precisaremos estar prontos para eles, mas o São Paulo também precisa mostrar ambição nos momentos cruciais do torneio, não apenas olhar os atropelos de camarote.

Entre falhas individuais e erros grotescos, o São Paulo voltou ao normal. E isso é um pouco decepcionante. Falhar acontece, é normal, mas não tanto quanto o Tricolor nos mostra anos após ano.