No sonolento empate contra o Inter, o São Paulo regrediu seis meses em apenas uma noite

A torcida do São Paulo saiu na bronca com a arbitragem, com razão, após o jogo contra o Internacional. O árbitro parou o jogo com frequência, apitou mais para o lado visitante e não manteve a coerência em muitos momentos. Ou seja, sim, prejudicou o Tricolor, mas em nenhum lance capital. Foi ruim, mas já estamos acostumados com isso no Morumbi. Isso, no entanto, não diminui a fraca apresentação da equipe no empate sem gols.


Sair de casa no frio paulistano já é um exercício de paciência, ainda mais se for para ir até o Morumbi, o local mais frio do mundo. Para os poucos que se arriscaram e viram esse São Paulo x Inter, meus parabéns, vocês são guerreiros. Foi uma partida horrível do início ao fim e o empate, por incrível que pareça, está de bom tamanho pelo que o Tricolor (não) produziu em 90 minutos.


Quando a escalação saiu, já havia um sentimento geral de que o jogo seria fraco. Aguirre, sei lá por qual razão, apostou em Tréllez na ponta e Diego Souza sozinho no ataque. Juntos, os dois ônibus que o São Paulo contratou para o ataque, pouco fizeram e mataram quase todas as jogadas. Para piorar, havia pouca saída de bola e Lucas Fernandes, por melhor que seja, não dava conta de segurar o jogo e armar jogadas. Sendo assim, poucas opções foram criadas enquanto o time não cansava de cruzar bolas na área e consagrar os zagueiros rivais.


Gazeta Press
Gazeta Press

Cuidado: caminhão capotado em campo!



No segundo tempo, um show de horrores. O São Paulo não criou praticamente nada, tirando uma única chance de Lucas Fernandes após cruzamento de Everton. O Inter, por outro lado, tinha boas chances a cada jogada que se aventurava. Hoje, tudo foi errado. O São Paulo não marcou bem e deu muitos espaços, vendo de camarote o time gaúcho trocando passes no campo de ataque e pegando absolutamente todos os rebotes na frente de nossa área.


Se eu pudesse resumir a partida, diria que o São Paulo regrediu seis meses (ou mais) em apenas uma noite. Essa foi, de longe, a pior partida da equipe sob o comando de Diego Aguirre, mas nos lembrou dos piores momentos de quando Dorival esteve como treinador, mostrando que nem sempre as peças ajudam. Foi sofrível, foi terrível, mas pelo menos não teve derrota.


Infelizmente, a Copa está chegando e o São Paulo se mantendo como razoável, nada mais que isso. É hora de entender que o time é esse aí, com alguns lampejos e momentos bons no campeonato. Eu avisei, após a vitória contra o Botafogo, para ninguém se empolgar. Agora, até a pausa, são mais dois jogos e o importante seria fazer pelo menos quatro pontos. Só que depois dessa terça, não dá para manter a esperança.