Cuidado, Jardine, você será a próxima vítima do São Paulo!

Após a demissão de Aguirre, logo começaram as especulações de quem seria o novo técnico do São Paulo para a próxima temporada. Muitos nomes foram falados, nada confirmado. Enquanto isso, André Jardine terá a dura missão de comandar a equipe nos cinco últimos jogos da temporada e pode ganhar uma chance para 2019 se fizer um bom trabalho nesse breve período. O problema é que essa é mais uma grande cilada do clube.

Jardine terá apenas cinco jogos até o fim do ano. Esse foi, curiosamente, o mesmo número de derrotas que Aguirre teve em seu bom trabalho. A diferença é que foi por um longo período, algo que o interino não terá. André Jardine, ex-técnico do sub-20, terá uma complicada sequência na reta final do Brasileirão para ser avaliado pela pouco criteriosa diretoria do São Paulo, uma cilada sem tamanho.


Rubens Chiri / São Paulo FC
Rubens Chiri / São Paulo FC

Jardine treinou o time principal do São Paulo por alguns jogos em 2016




Vamos supor que Jardine faça um bom trabalho e siga no comando do clube em 2019, como muitos torcedores querem. A minha primeira lembrança será sempre de Sergio Baresi, treinador da base que vinha de bons trabalhos e se arriscou como treinador do profissional em 2010, mas que fracassou de maneira lamentável e deixou a equipe numa posição mediana na tabela de classificação.

Jardine é o mais cotado para assumir no próximo ano e precisa estar consciente de que seu trabalho será constantemente julgado sem dó pela diretoria e pela torcida, dois elos impacientes no Morumbi. Qualquer erro, tropeço ou falha e ele não será perdoado. Se nem mesmo um ídolo do tamanho de Rogério Ceni escapou, imagina um coitado que acabou de subir da base, não é mesmo? Qual a moral que ele impõe, por exemplo, em um vestiário claramente rachado como o atual? Jardine precisa saber que ele precisará se destacar muito para não sofrer como outros muitos treinadores, em geral com mais bagagem, sofreram nos últimos anos no Tricolor.

Por outro lado, Jardine pode, enfim, dar a sequência correta para muitos jogadores da base, explorando o melhor deles. Se tirar os medalhões improdutivos, como Nene e Diego Souza, melhor ainda. Nisso, o treinador tem muita qualidade como vimos nos últimos anos na base do São Paulo. Mesmo assim, ele precisa tomar muito cuidado, o próximo alvo na mira da diretoria tem o rosto dele. Leco e Raí não vão hesitar em tirá-lo de lá sem dó.