Sem clima e atrapalhando muito, Nene não pode continuar no São Paulo em 2019

Quando o São Paulo parou de ganhar, Aguirre começou a ser julgado, pressionado pelos conselheiros ultrapassados e pela diretoria que finge ser moderna. Não deu outra, foi demitido após empatar contra o Corinthians em um jogo que, vamos admitir, o time foi muito mal. Nos bastidores, corriam rumores de que Nene estaria de birra com o treinador, mas, vejam só, o jogador continuou no elenco e, pior de tudo, virou titular. Mas ele está jogando bem? Não, claro que não!

Vamos ser honestos, Nene não devia nem ter sido contratado. O São Paulo, mesmo assim, decidiu pagar um alto salário para um jogador de 36 anos e ofereceu um contrato de dois anos. No Vasco, seu ex-time, saiu por não aceitar o banco de reservas. Ou seja, o clube sabia o que estava contratando e correu risco por vontade própria. Burrice total.

Nene chegou, não se encontrou e foi para o banco. Dorival saiu, Aguirre mudou sua posição em campo e o meia virou destaque na primeira parte do Brasileirão. Depois da Copa do Mundo, porém, sumiu. Mudou o número da camisa, criou a tal 'Chapada do Nena' ao lado de Reinaldo e não jogou mais absolutamente nada. As críticas começaram a surgir, o banco virou opção e o São Paulo, assim como ele, despencou de rendimento.


Rubens Chiri/saopaulofc.net
Rubens Chiri/saopaulofc.net

"Minha nossa, não é possível, é a falha do Nena!"




Com a ida para o banco, o bico surgiu. Reclamações constantes com Aguirre e a imprensa, saída apressada após não entrar em campo e a criação de um clima insustentável. Pronto, Nene voltava a ser o centro das atenções, mas sem chutar uma bola no gol. Lugano ainda tentou passar a mão na cabeça do atleta, disse que o bico "estava no pacote". Ah, é? O pênalti perdido contra o Sport também? Todas as jogadas patéticas nos últimos quatro meses também?

Se Aguirre foi demitido por sua falta de resultados e por não atingir seu objetivo, Nene não pode mais vestir a camisa do São Paulo. Primeiro por criar uma panela dentro do elenco e rachar o clube até a demissão de Aguirre, depois por continuar sendo um atleta preguiçoso e soberbo em campo. Ele também tem muita responsabilidade pela queda de rendimento da equipe no segundo turno, não apenas o ex-técnico tricolor.

Em 2019, Nene não pode continuar no São Paulo. E se sair, que leve muitos outros pesos que ocupam espaço no clube. Se continuar, porém, é uma ofensa ao torcedor são-paulino. Que se danem os copos e a chapada do Nena, é hora de partir!