O São Paulo deixou sua grandeza de lado para se acostumar com os fiascos

Rubens Chiri / saopaulofc.net
Rubens Chiri / saopaulofc.net

Reinaldo em mais um jogo lamentável, claro

Noites de Libertadores são especiais, eles dizem. Todas as noites são as mesmas se o São Paulo estiver lá. Na minha opinião, as tais "noites de Copa" são apenas noites em que vejo mais desconhecidos gritando, pulando, xingando. Nada especiais.


Nos últimos anos, tudo que vimos foram socos. Dentro e fora de campo. A vida não brilha no Morumbi como antes, pois a grandeza do São Paulo se escondeu, se encolheu até chegarmos em níveis asustadores. Viramos coadjuvantes, viramos a piada.


Alguns acreditavam contra o Talleres, mas eu não. Fui de trouxa, por ser besta mesmo, por já ter ingresso há muito tempo. E a minha voz não conseguiu sair em momento algum para apoiar o time. Não merecem, simples assim.


Temos que aguentar Reinaldo, Bruno Perres, Diego Souza, Nene e ainda apoiar? Eu que merecia um dinheiro para aguentar esse show de horror. Jogadores despreparados, desligados, sem o menor interesse. Ruins. Sem cabeça. Atletas que não merecem estar no São Paulo.


Quer dizer, merecem estar no São Paulo atual porque a diretoria permite. É fraca, é ruim, é medíocre. Do presidente ao técnico, passando por cada conselheiro velho e ultrapassado que cospe marimbondo dentro do clube.


O amor ainda está aqui, mas o calos das humilhações também. A voz para apoiar o São Paulo parece cada vez mais tímida. E eu sei que a culpa não é minha, eu não fiz nada de errado, mas o clube erra constantemente. Como em todos os relacionamentos, existem altos e baixos. Atualmente, estamos sem a luz no fim do túnel.


O São Paulo é uma vergonha, uma piada internacional. Um time que foi grande e hoje sobrevive tropeçando na própria soberba. O São Paulo atual é minúsculo, um espelho de seus dirigentes gananciosos e despreparados. Estamos vendo o fundo do poço e correndo na direção dele. Triste.


Deixamos de brincar para virar a piada. Os rivais cresceram, conquistam taças e nós estamos apenas olhando, deixando o tempo passar e nos amargurar.


E assim vamos levando a vida. Defensa y Justicia, Colón e Talleres nas competições internacionais. Penapolense, Bragantino e as frequentes surras para os rivais. Quando vamos aprender? Quando vamos mudar? Não há esperança, não existem sinais de que as coisas vão melhorar.


O São Paulo é um ex-clube de futebol que já nos deu alegrias. Hoje, só a raiva e o rancor alimentam a torcida. Ele colhe tudo que plantou no passado. Castigo merecido.