A base virou enfeite: o São Paulo só quer gastar

Anos atrás, nasceu o Centro de Formação de Atletas Presidente Laudo Natal, também conhecido como CT de Cotia. Naquele local, nasceram diversos atletas não apenas para o São Paulo Futebol Clube, mas também para o futebol mundial. O problema é que nosso clube nem sempre o valoriza, recorrendo à base apenas quando surge um grande craque, como Kaká ou Lucas, e em casos de extrema necessidade, como em 2010 e 2011.

O problema é que o São Paulo sempre vai bem nas categorias de base, sempre aparece com uma leva de jogadores que podem estourar no time principal, mas raramente alguém vinga. Recentemente, tivemos diversos atletas pintando entre os profissionais, como Auro, Lucão, Matheus Reis, João Paulo e Murilo. No entanto, nenhum desses jogadores se firmou como titular ou virou uma unanimidade entre os torcedores.

Apesar disso, os milhões continuam sendo gastos em Cotia e os títulos surgindo. Logo, temos jogadores melhores que os rivais nas categorias de base ou não estaríamos sempre no topo. A questão é: por que esses atletas não vingam? Falta de preparo, falta de vontade ou uma junção disso tudo?

A questão é que em 2015 o São Paulo montou uma grande equipe, conquistando a Copa RS sub-20 e o a Copa do Brasil, além de ser um dos favoritos ao título da Copa São Paulo que está sendo disputada. O técnico da base já elogiou os jogadores. Edgardo Bauza, técnico dos profissionais, já foi ver jogos da equipe. 

Então por que razão a nossa diretoria optou por gastar mais nessa pré-temporada? Parece que está querendo mostrar para a torcida que está ativa, olhando o mercado, mas na verdade o clube foi passado para trás mais uma vez. A necessidade de contratar os fracos Mena e Kieza, ainda mais gastando dinheiro para isso.


Rubens Chiri / São Paulo FC
Rubens Chiri / São Paulo FC

Cotia: a base tem toda a estrutura necessária, mas não revela ninguém


Na base, o lateral-esquerdo Inácio é muito melhor que Mena. O chileno, com passagens por Santos e Cruzeiro, não é amado por torcedores dos dois times, cansados de suas constantes falhas. Podem argumentar que é titular da seleção de seu país, mas não muda o fato de que é bem abaixo do que podemos sonhar. Enquanto isso, o clube agora tem QUATRO jogadores na mesma posição (Mena, Carlinhos, Reinaldo e Matheus Reis), mas a verdade é que o mais talentoso é Inácio, que está na base e com um salário bem mais baixo que os demais.

No ataque, o clube optou por contratar Kieza. Para quem assiste jogos da base, é notório que o atacante Joanderson é superior, além de mais jovem e com mais potencial. Kieza já foi questionado por torcedores de diversos clubes, mas o São Paulo o contratou porque fez uma boa Série B (isso é parâmetro para quem vai jogar Libertadores?). Por que fazer isso para quem será reserva de Alan Kardec? Além disso, o clube renovou o contrato de Joanderson no ano passado, mas não deve leva-lo ao time principal.

E não só esses dois exemplos, temos também os bons David Neres, Foguete, Banguelê, entre outros no time sub-20 e que podem ser aproveitados entre os profissionais. Apesar disso, o São Paulo opta mais uma vez em gastar dinheiro, provavelmente com alguma gorda comissão para dirigentes e empresários.

A falta de inteligência do São Paulo está acabando com a utilidade de Cotia. Hoje, os jovens possuem prazo de validade no clube, pois não sobem para os profissionais mesmo com muito talento. Temos estrutura, mas ela não gera atletas para o Tricolor.

Queimamos dinheiro, jogadores e investimentos. Depois não adianta chorar, o futuro está escapando de nossas mãos.