Não abram as portas do Morumbi para Pato!

Pato no São Paulo? Sério mesmo? Depois de tudo que já passamos com ele, ainda tem gente querendo mais desse castigo?

Depois de um longo e tenebroso inverno, o São Paulo mudou sua postura dentro de campo. Por anos, o time foi apático, sem vontade ou capacidade de reverter adversidades no gramado. Presa fácil em clássicos e jogos decisivos, o Tricolor virou piada entre os rivais. Em 2016, decidiu apostar em Patón Bauza e sua cara fechada, de poucos amigos. Deu certo e o time está na semifinal da Libertadores. Qualquer retrocesso neste momento seria muito arriscado.

Atualmente, o time tem a cara de Bauza, muito brigador e com raça. Além disso, os jogadores estão mostrando uma disciplina tática como há muito tempo não vemos no clube. Lideranças estão espalhadas pelo elenco, mas pouco questionam o treinador, como Ganso na reserva na decisiva partida contra o The Strongest. É uma equipe unida e com objetivos vitoriosos.

Se algo não funciona, eles discutem em público mesmo, para mostrar como o ego individual não pode se sobrepor ao coletivo, como após o “voto de silêncio” no início do ano ou após a vitória sobre o Palmeiras neste Brasileirão.

Aí a diretoria do São Paulo decide sondar Alexandre Pato mais uma vez. O jogador que ainda pertence ao Corinthians e já passou pelo Tricolor entre 2014 e 2015 pode ser uma novidade no elenco nos próximos meses, segundo conversas internas do clube. O problema é que a mentalidade do elenco não abre mais espaços para ele.


Rubens Chiri / São Paulo FC
Rubens Chiri / São Paulo FC

Pato em ação com a camisa do São Paulo, em 2015, sem deixar saudade


Individualista e com a cabeça na lua, Pato ficou marcado como um dos símbolos daquele time sem-graça de 2015, que não demonstrava vontade em campo. Apesar dos gols, geralmente contra equipes fracas e quando o jogo já estava meio decidido, ele pouco ajudava na marcação e nunca pareceu muito comprometido com o São Paulo, inclusive falando sem cerimônia que defenderia a camisa do rival Palmeiras.

Recentemente, Pato foi emprestado ao Chelsea. Pouco jogou, fez só um gol. Não sabemos o quanto de empenho mostrou nos treinos, mas, pelo seu histórico, já imaginamos que foi bem pouco. Apesar da saída de Calleri nos próximos meses, não podemos apostar em alguém que já veio ao São Paulo e pouco empolgou, é hora de apostar no mercado e fazer contratações decentes, baratas e que não façam o clube se endividar novamente.

Que a diretoria desista dessa ideia maluca de contar com Pato novamente no elenco. A América Latina está cheia de bons jogadores para a mesma posição, mais baratos e que talvez tenham o mesmo espírito implantado por Patón nesta temporada. Benedetto, do América do México, foi especulado no Tricolor e pode fazer mais do que o mimado atacante brasileiro.

Sem mais crianças egoístas no elenco do São Paulo, por favor. É hora de virar um clube com raça e vontade de vencer, não apenas de andar no tapete vermelho do Oscar.