O futuro de Montella no Sevilla passa por atropelar o Betis

Getty Images
Getty Images

Machaquemoslos


Após uma estreia digna e uma vitória sem grande dificuldade (0-2) contra o Cadiz, pela Copa do Rei, o Sevilla de Montella passará pelo seu primeiro desafio importante no próximo sábado, contra o Betis. O derby da cidade será no Pizjuán e terá caráter determinante para a sequência de trabalho do treinador napolitano.


É de se valorar a capacidade de o Betis ainda ser considerado como um rival, pelo Sevilla, dada a distância abissal que separa os dois clubes, atualmente. Nos últimos anos, o Sevilla cansou de massacrar o seu mais tradicional adversário, pelos mais diversos campeonatos e das mais diversas formas. Mesmo assim, os duelos contra o Betis seguem generando morbo (ou guasa, como disse Montella em sua apresentação).


Contra o Cadiz, em sua primeira aparição, o Sevilla de Montella apresentou novidades. Com N'Zonzi voltando a sua posição, Navas fazendo gol e Sergio Rico pegando pênaltis, o efeito Montella parece ter gerado uma série de milagres, em cadeia. 


Brincadeiras à parte, aparentemente será um Sevilla mais intenso e sem tantas invenções sem nexo, como a rotação de porteros e a marcação individual, que tantos problemas causaram a Berizzo. Um time mais prático, intenso e objetivo. 


Sevilla x Betis definirá o futuro de Montella, no Sevilla. Exagero? Provavelmente não. Qualquer resultado diferente de uma vitória será mal visto por um torcedor excessivamente "mal" acostumado a ver seu clube passar por cima de seu eterno rival. Arrasar o Betis seria nada mais que repetir o papel de Don Unai Emery e o rapsoda Jorge Sampaoli.


 Abaixo, um dos muitos massacres dos últimos anos: