Montella já fez mais pelo Sevilla que Berizzo e Sampaoli

Getty Images
Getty Images

Integrado desde o começo, Montella parece se sentir em casa no Sevilla


Contratado sob desconfiança generalizada, o técnico italiano Vincenzo Montella está à frente do Sevilla desde 28 de dezembro de 2017 - portanto, há pouco tempo. Mesmo assim, já é possível dizer que o napolitano conseguiu oferecer mais rendimento ao clube do que os seus últimos antecessores, os argentinos Eduardo Berizzo e Jorge Sampaoli.


O primeiro aspecto a se valorizar no trabalho de Montella é a classificação para mais uma final, agora na Copa do Rei. Totalmente desacreditado, o time conseguiu uma reação surpreendente, eliminando o Atlético de Madrid e o Leganés - este último havia retirado o Real Madrid do caminho.


Mais uma final, em um momento como o atual, representa muito para o Sevilla: é uma grande demonstração de confiança e de recuperação de auto-estima. Acostumado a viajar para finais nos últimos anos, o torcedor sevillista havia se incomodado com a ausência de sucesso nos últimos tempos, especialmente com Sampaoli, eliminado por Leicester e Real Madrid nas copas que disputou.


Além da final da Copa do Rei, a ser disputada em 21 de abril, Montella terá ainda a sua disposição uma oportunidade única: colocar o Sevilla, pela segunda vez em sua história, entre os 8 melhores da Copa dos Campeões - seria a primeira vez no atual século. Diante do Manchester United, na semana que vem, Nervión será uma explosão de sentimentos rumo à classificação.


Recuperar jogadores, transformar o ambiente e transmitir otimismo e dedicação. Com critério e inteligência, Montella conseguiu agregar e unir grupos diferentes, entre torcida, dirigentes e jogadores. Desde Emery não havia essa sensação de que todos estão remando para o mesmo lado.


Que venha o United.