Glória na Champions: Sevilla volta a fazer história na Europa

Getty Images
Getty Images

Wissam Ben Yedder: ser bajito no es delito


Manchester United 1 x 2 Sevilla. O clube andaluz está nas quartas-de-final da Uefa Champions League. 60 anos depois, o Sevilla volta a disputar esta etapa. Horas atrás, se encerrou um jogo absolutamente histórico e espetacular para o torcedor sevillista.


Parabéns aos jogadores, parabéns a Vincenzo Montella, parabéns ao presidente do clube e ao diretor de futebol, principalmente pela decisão de demitir Eduardo Berizzo. Parabéns a Ben Yedder, parabéns a Lenglet, a Banega, Mercado e Sergio Rico. Parabéns aos mais de 2 mil desplazados que deixaram a garganta em Old Trafford.


Parabéns a Palop, Puerta, Caparrós, Javi Navarro, Luís Fabiano, Daniel Alves, Kanouté... Martí, Dragutinovic, Maresca... Coke, Beto, M'Bia, Bacca, Iborra, Carriço, Fernando Navarro... Monchi, Oscar Arias... Gente que ajudou a construir a história recente de vitórias épicas sevillistas.


Indiscutivelmente, a fantástica história europeia do Sevilla entra em campo nesses jogos. Cultura copeira. Saber jogar esse tipo de jogo... Sem personagens exóticos que tentem reinventar o futebol, como Sampaoli, a essência sevillista se escancara e se sente livre para seguir escrevendo história.


Há muito, na vida e no futebol, além do que se vê. Parecia muito claro, desde o sorteio, que o Sevilla não merecia ser descartado. Este é o perfil do Sevilla, estas são as características do Sevilla: o Sevilla é um clube que tem essa idiossincasia, este estilo. Qual estilo? Crescer neste tipo de confronto, quando se sente subvalorado.


A classificação do Sevilla é justa. Merecida. O time andaluz é superior tecnicamente ao United hoje. Propõe jogo, tem um meio-campo titular com jogadores extraordinários, como Banega, N'Zonzi e Franco Vazquez. Poucos times no mundo possuem esse nível de talento nessa posição. Alguns jogadores do United parecem robôs. Lukaku é um animal, mas foi bem marcado por Mercado (zagueiraço subvaloradíssimo) e o grande menino Lenglet.


Destaque também para a fantástica participação da torcida do Sevilla no Old Trafford. Algo sensacional. Só se ouvia o torcedor sevillista. Os mais de 2 mil desplazados foram recompensados por um time histórico e vitorioso. Sim, desde já, histórico e vitorioso. Aconteça o que acontecer, esta temporada está na história. O Sevilla está nas quartas de final da Uefa Champions League e na final da Copa do Rei. Larga vida a esse grupo, isso é história, isso é glória bendita.


É necessário respeitar o Sevilla, a história do clube e especialmente a trajetória recente em competições internacionais. Havia muita fé neste Sevilla, principalmente por conta do que esses jogadores já foram capazes de demonstrar, em outras ocasiões.


Com um técnico sério e sem a necessidade de reinventar o futebol, o Sevilla cresceu e se tornou muito mais forte. Com jogadores experimentados, acostumados a jogos grandes e duelos eliminatórios, o Sevilla se impôs e calou Old Trafford.


Isto é história.