Ganso vira símbolo de negociações fracassadas recentes do Sevilla

Getty Images
Getty Images

Paulo Henrique vira um problema sério (e caro) para o clube


Paulo Henrique Ganso está com os dias contados em Sevilla. O meia brasileiro está afastado há muito tempo, sem oportunidades com os últimos dois treinadores (Vincenzo Montella e Joaquín Caparrós) e com a certeza de que não será aproveitado também por Pablo Machín, novo treinador anunciado.


Com contrato extremamente largo e sem perspectivas no clube, Ganso não está recebendo as propostas que imaginava no cenário europeu. Assim, o jogador, que custou 10 milhões de euros, se encontra diante de uma situação curiosa. Não é aproveitado, não deseja voltar para o Brasil e segue com um contrato grande.


O Sevilla, por sua parte, não deseja liberar o jogador sem recuperar parte dos 10 milhões investidos. Solicitado por Sampaoli, o meia segue sem destino. O investimento alto - para os padrões do Sevilla - passou a servir de exemplo para o clube - e para a imprensa sevillana.


Francisco Pérez, comentarista do site Orgullo de Nervión, especializado no clube, definiu como "Gansada" a contratação de Paulo Henrique. O texto de hoje, de Pérez, afirma que Ganso virou um problema sério para o clube, a partir do título: "Proibido cometer mais Gansadas milionárias".


O salário do brasileiro, um dos mais altos do elenco (4 milhões de euros brutos), é mais um inconveniente para a saída do jogador. Capricho de Sampaoli que custa caro (literalmente) ao clube.