Sevilla precisa voltar a ignorar o Betis para seguir crescendo

Getty Images
Getty Images

Joaquín Caparrós


O retorno de Joaquín Caparrós ao Sevilla - desta vez, para ser dirigente do clube, foi bem visto pela torcida. Havia motivos para isso, já que Caparrós é um sevillista capaz de aportar valores importantes ao clube. No entanto, o seu comportamento tem deixado muito a desejar, especialmente no que tange a forma de lidar com o rival, Betis.


O Sevilla viveu a melhor fase de sua história a partir da total indiferença ao eterno rival. Ao se desconectar do Betis, o clube cresceu, obteve sucesso internacional e prestígio entre clubes e jogadores. Além disso, deixou de ser um clube endividado, passando a ter superavit.


Caparrós é um sevillista da velha guarda, acostumado a lidar com o Betis com provocações e citações quase que diárias. Por mais que em alguns momentos seja engraçado, esse comportamento acaba causando vários problemas para o clube. Caparrós, em vários momentos, está deixando de transmitir a seriedade exigida a um dirigente do Sevilla.


O ideal é massacrar em campo, como se vinha fazendo, ignorando o adversário fora dele. Os objetivos são diferentes, o estilo é diferente e é hora de se reforçar esse padrão de comportamento.