2018: O segundo melhor desempenho do Sport em cinco anos de Série A

Não parece haver mais dúvida de que o Sport passou a ser um time competitivo desde a chegada do técnico Claudinei Oliveira. São seis jogos: três vitórias, dois empates e uma derrota, em uma sequência duríssima, onde o time saiu extremamente fortalecido. Em campo e fora dele. Os números, neste caso, andam de mãos dadas com o desempenho do time dentro de campo.


Se compararmos o desempenho do Sport passadas nove rodadas neste ano, em relação às últimas edições da Série A, o resultado é animador. Em 2014, após nove jogos, o Sport tinha conquistado 14 pontos. Terminou aquele ano em 11º, com 52 pontos. No ano seguinte, 2015, o melhor rendimento da última meia década: 19 pontos. Na temporada em questão, o Leão terminaria o Brasileirão em sexto.


2016 e 2017 foram péssimos. oito e nove pontos respectivamente após nove rodadas, finalizando a competição no 14º e 15º lugares. Em 2018, o Sport conquistou 15 pontos, permanecendo firme e forte no pelotão de cima da tabela. A questão é: como trabalhar isso na mente do torcedor e, principalmente, de dirigentes e jogadores? Claudinei Oliveira, novamente, tem papel fundamental - e difícil - nisso.


Paulo Paiva/Agif/Gazeta Press
Paulo Paiva/Agif/Gazeta Press

Claudinei tem papel crucial: conter a esquizofrenia que ama se instalar no Sport


Nos últimos anos, a temporada do Sport foi tratada de forma irresponsável por seus dirigentes. Motivo? Um nome: Libertadores. A competição era tratada com uma obsessão tão psicótica pelos mandatários do clube que intoxicava jogadores e torcida. O resultado era frustração e caça às bruxas. Em 2018, o remédio pode ter vindo ao avesso. Completamente desacreditado, o Sport surge como um time coeso. 


Felizmente, ainda não se fala em Libertadores, e sim em "45". Pontos. O Leão está a 30 pontos de evitar aquele que era o destino cabal na cabeça de muitos: o rebaixamento. São três jogos antes do começo da Copa. Dois em casa e um fora. Este contra o Atlético-PR, que vai mal das pernas. Se o time conquistar seis ou sete pontos, pode chegar antes da metade do Brasileirão com metade dos pontos necessários para evitar o descenço. 


O pragmatismo esteve longe do Sport nos últimos três anos. Parece ter voltado agora. Felizmente, também parece estar incutido na cabeça do torcedor. Isso costuma dar boa coisa.