Mais uma vez, o Tottenham ativou o modo Tottenham

Getty Images
Getty Images

Momento ruim para uma fase ainda pior


O Tottenham evoluiu pra caramba. Novidade nenhuma até aí. O time, que até pouco decepcionava o torcedor consecutivamente desde o início da temporada, mudou. Desde que Pochettino chegou, a decepção virou ilusão. Só que, em todos os anos, houve um momento que esse sonho parou de ser alimentado. A última semana pros lados do norte de Londres tem, bizarramente, apontado para isso. 


Chamo a situação de bizarra com propriedade. Não tinha como não se iludir: Kane retornando, quatro vitórias consecutivas no lombo - incluindo aquela lavada no Borussia - e um adversário chato no caminho, mas que não deveria oferecer muitos problemas. Além disso, se batesse o Burnley, o Tottenham ficaria a dois pontos do City e a três do Liverpool, graças aos resultados paralelos. A corrida pelo título estaria viva e acirrada.


ESPN.com.br | Com Kepa no banco, Chelsea bate o Tottenham e alivia pressão sobre Sarri


Mas aí vieram um Chris Wood, um Ashley Barnes e um Mike Dean. Dois dos centroavantes mais durões (e meia-bocas) da Premier League, aliados a um dos árbitros mais bizarros do campeonato, foram os responsáveis por uma derrota vexatória dos Spurs - acendendo o alarme do desencanto.


O momento péssimo foi reiterado no clássico contra o Chelsea. A impressão é de que o Tottenham sempre contrata o mais melancólico - e debochado - dos roteiristas para escrever a sua desgraça em momentos que, até pouco, soavam como belos. Afinal, quem põe uma lasanha nesse tipo de coisa?


Getty Images
Getty Images

Me ajuda a te ajudar, Trippier


E o roteirista em questão é um belo de um filho da mãe. Ele põe o pior dos atacantes titulares do rival para marcar o gol. De preferência, fazendo uma fumaça na linha de fundo, entortando Alderweireld e chutando entre as pernas de Lloris. Perfeito.


Mas não tanto assim. Melhor pensar em outro inimigo. Aliás, que tal um fogo-amigo? Uma diarreia mental no Trippier seria interessante. Ao invés de olhar para Lloris antes de recuar, ele pode supor onde o arqueiro está e chutar com força desmedida na direção do gol. Uma forma tão horrenda quanto cômica de selar-se uma derrota e, quem sabe, um desencanto.


Assim, a Premier League vai por água abaixo. O Tottenham brigará pela terceira colocação e isso é cada vez mais claro. O momento pede que se foque em uma campanha minimamente digna na Champions League - mesmo sabendo que, nesse estado, o time é completamente capaz de tomar um calor do Dortmund mesmo com uma vantagem tranquila no confronto. 



Curta o One Hotspur no Facebook e vem sofrer com a gente.



Sim, o Tottenham ligou o modo spursy - que é basicamente o próprio Tottenham na sua pior essência. Mas o negócio, agora, é torcer para que essa configuração seja alterada - antes que seja tarde demais.